terça-feira, 4 de agosto de 2015

Conheçam Priscila Menuci, uma modelo e atriz com nanismo

Sabe aquele ditado tamanho não é documento?! Pois, parece que ele foi feito para o pessoal pequeno, ou seja, que tem nanismo.As pessoas que tem nanismo  além de serem excluídas e esquecidas como os amputados, cadeirantes, deficientes auditivo, visual e intelectual, ainda são achincalhados, diminuídos e alvos de piada nos programas de humor.

Como tenho poucas informações a respeito de nanismo e não sei muito sobre o mundo paralelo deles, resolvi entrevistar a atriz e modelo Priscila Menuci.
Ela, ao longo da entrevista, demonstra que a deficiência não foi pretexto para viver normalmente e se tornar uma mulher bem resolvida profissionalmente e financeiramente. E aí, curiosos para conhecê-la? Então, vejam a entrevista abaixo.



Fale-nos sobre sua deficiência e como você, seus pais, familiares e amigos a “digeriram”?
Eu tenho nanismo, sou no popular “anã”, nasci com a deficiência, meus pais não aceitaram muito bem, claro como qualquer casal, eles gostariam que viesse perfeito , ainda mais sendo o primeiro filho do casal, na época não existia ultrassom avançado que nem hoje existe, logo após o parto quer o médico deu o diagnóstico.
Não foi fácil, tanto é que fui criada pela minha avó e madrinha.

Como foi sua infância e adolescência?
Minha infância foi ótima como a de qualquer outra criança, brinquei na rua, joguei bola, andei de carrinho de role man enfim fui moleca.
A adolescência rebelde, pela idade e não por ser diferente, pois tive muitos amigos.

Fale um pouco de como foi sua vida escolar e acadêmica. 
Quando entrei no colégio, minha avó foi conversar com a direção do colégio para explicar como eu era e que não queria que eu fosse tratada diferente das outras crianças e que era para conversar com os professores e outros alunos do colégio, para não ter nenhum constrangimento, estudei em colégio particular até o 5º ANO.
Depois colégio público.
Não fiz faculdade, pois preferi a vida artística.
Como o mercado de trabalho a recebeu?                                                   
Me recebeu bem.


Qual o termo mais apropriado: anão, pequeno, pessoa com nanismo, malacabada (como diz Jairo Marques)?          
Depende quem está usando o termo, e como mesmo é dito.

Já sofreu preconceito?
Sim.Quem não?



Como você vê o olhar da mídia sobre as pessoas que tem nanismo?
Vou falar a meu respeito, elas me tratam de igual para igual,porque eu dou esse respeito.
Não me tratam como a palhacinha da corte , porque eu faço com que as pessoas riam comigo e não da minha situação física.

Quais são as maiores dificuldades que você enfrenta no momento de comprar roupas e calçados?
Agora não mais, pois temos grifes com marcas boas de roupas e sapatos.
Roupas como a Fator Brasil
E sapatos Natalia sapatos sob medidas.

Se você pudesse dar sugestões para um grupo de estilistas que participará de um concurso de moda, voltado para pessoas com nanismo que dicas você daria?
Preste mais atenção na modelo e não no seu gosto, pois temos proporções totalmente diferentes.

Qual a sua opinião sobre moda inclusiva?
Estão despreparados para algumas deficiências.



O pré-natal de uma mulher com nanismo é igual ao de uma mulher sem nanismo, ou há diferença?
Igual só que os ultrassom são de qualidade melhores como o morfológico.
Como foram os partos?
Os dois cesariana e anestesia geral pois a raque não pega.
Mas, foi tranquilo.
E a recuperação ótima, após a anestesia passar já estava andando e tomando banho.
Seus filhos também tem nanismo?
Tem
Quais as maiores dificuldades que você enfrenta em casa e na rua? E como você lida com essas situações diariamente?
Em casa , quase nada , na rua todas.

O que você considera eficaz para o Brasil melhorar em termos de políticas públicas para as pessoas com nanismo?
Ser descoberto novamente.

Quais seus planos para o futuro?
Profissional ainda tenho muito para caminhar, quero fazer novelas, filmes. Enfim, trilhar mais caminhos.
E criar meus filhos em um mundo melhor.
E continuar sendo feliz.

Deixe uma mensagem para os (as) leitores (as) do Blog De papo com Claudinha?
O mundo não está preparado para nós, temos que nos adaptar a ele.

Independente de condições físicas.


E aí, querem conhecer melhor a Priscila? Então, clique na #PriscilaMenuci e vejam um vídeo dela atuando como Repórter.

Bjos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário