sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Despreparo de um Banco em Caicó

Olá, pessoal!
Vim hoje contar, a vocês, o babado que foi minha ida ao banco, dia 11/08/2015. Esse é um dos lugares em Caicó que se possível não ia, entretanto existem certas pendências que só são solucionadas pessoalmente. E como há dias estava com algumas pendências o jeito foi enfrentar o ambiente áspero e nada simpático para mim.

Para facilitar minha ida e vinda chamei a minha irmã, dispensei o “esplendor” que é a autonomia e reforcei a ideia de que a pessoa com deficiência é um ser improdutivo. E ao meio dia lá fomos nós.

Como o banco não tem estacionamento, o jeito foi estacionar o Calhambeque, em frente a uma loja, próximo à faixa de pedestres.

Ao chegar à faixa de pedestres, senti falta de uma guia rebaixada como a da foto abaixo. Como era horário do almoço, imaginei que ela tinha dado uma saidinha para almoçar, mas logo descobri que ela nunca exerceu sua função ali.

Diante da falta da Guia Rebaixada desci o degrau da calçada, com o auxílio da minha irmã, depois ela levantou o braço e pediu passagem. Aos poucos os carros foram parando e atravessamos a Coronel Martiniano.

Ao chegar ao final da faixa, constatamos que a guia rebaixada da calçado do banco se encontrava a uns 10 metros da faixa de pedestres, e fora das normas da ABNT. Bem diferente da foto abaixo.

Então, minha irmã me “guinchou” para cima da calçada do banco. Entramos no banco pegamos a senha do autoatendimento e fiquei lá aguardando minha vez.

Entretanto, minha irmã precisou pegar algo que esqueceu no carro e ao voltar não percebeu um buraco na calçada do banco e quase se esparramava no chão. Pequeno detalhe ela está grávida. Enquanto, eu aguardava ser atendida brinquei com minha irmã.  Imagine se essa criança nasce na calçada do banco?!

Logo fui atendida por um rapaz super simpático, que resolveu minhas pendências e depois fui falar com o gerente sobre a falta de acessibilidade ali, sobre o buraco na calçada do banco, da necessidade de um estacionamento e do suposto nascimento da menina na porta do banco.

Ele falou que a guia rebaixada do outro lado da rua é problema da prefeitura, me orientou a ligar para o 0800 e relatar a questão do acesso da calçada ao banco, me informou que haverá em breve uma reforma no banco sem direito ao estacionamento.

No dia seguinte liguei para o 0800 e fiz a denúncia e cerca de 02 horas depois recebo a ligação de um gerente da agência daqui querendo entender melhor o que tinha acontecido.


Ele me informou que o banco não tem a obrigação de possuir estacionamento, que a questão da acessibilidade às calçadas é de responsabilidade do poder público municipal e que em setembro se iniciará uma reforma.

No dia 13/08/2015, liguei para a Secretaria de Infraestrutura e após relatar o caso fui informada que as guias rebaixadas que dão acesso à faixa de pedestres é de responsabilidade do banco e da loja e que esses serão advertidos. Mas, a história ainda não terminou, pois hoje recebi o seguinte e-mail
Claudia,

Em atenção à sua manifestação registrada no SAC - Serviço de Atendimento ao Consumidor sob nº xxxxxxxxx, informamos que esta Instituição pauta sua atuação sempre buscando a excelência no atendimento, baseado no respeito às necessidades dos clientes.

Os fatos alegados foram levados ao conhecimento da administração da agência xxx - Caico. Verificado algum atendimento que foge aos padrões de qualidade adotados pelo Banco, os funcionários são reorientados com o intuito de que tais situações não mais ocorram.

Esclarecemos que a agência xxx irá tomar as providências necessárias para reparação da calçada em frente ao prédio e também que as informações à respeito de estacionamentos próximos podem ser obtidas na própria agência.

Lamentamos quaisquer transtornos ou mal-entendidos que possam ter ocorrido, pois nosso intuito é sempre a plena satisfação de nossos clientes.
Prestadas essas informações, reafirmamos nosso compromisso com o melhor atendimento e permanecemos à disposição para quaisquer outros esclarecimentos.
Gente, vocês entenderam o que eu entendi ou eu ando perturbada das ideias?! Primeiro eles pedem para eu ligar para o 0800 e relatar os fatos, depois o e-mail pede para eu procurar a agência bancária. Confuso, né?! 

Depois da reforma na agência bancária, contarei quais as melhorias que a mesma trará. Mas, antes disso continuarei rezando para que Sant’ana, Mãe dos caicoenses, proteja os idosos, pessoas com mobilidade reduzida e pessoas com deficiência não serem atropeladas. 


E aí, gente como anda a acessibilidade nas agências bancárias de suas cidades? Vamos ficar de olho, afinal de contas todos precisamos de acessibilidade em uma fase da vida.

Ou vocês nunca pararam para pensar que uma grávida, uma mãe com carrinho de bebê ou uma pessoa com a perna quebrada também precisam de acessibilidade?

Bjos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário