segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Professores, as peças fundamentais na vida de uma professora com deficiência

Olá galera, tudo bem?

Próxima quinta-feira, (15/10/2015), é uma data muito especial, afinal é o Dia do Professor. E eu não poderia deixar de vir aqui e homenagear os meus prezados mestres que sempre tiveram a sensibilidade de me ensinar numa época que ninguém falava em inclusão.



Nesse tempo eu nem imaginava que ia me tornar uma professora, e vivia achando que professor é um bicho muito chato. Afinal de contas, eu não entendia o que levava um professor a aplicar provas em plena segunda-feira.

Também lembro que nessa época meus professores desconheciam as adaptações para materiais escolares então certas tarefas eram realizadas por mim, com certas dificuldades como cortar papéis.


Mas, os professores davam um jeito de adaptar as atividades. Quando a atividade era em dupla, por exemplo, a coleguinha recortava aquelas partes que não tinham ficado bem cortadas e eu ficava responsável pela escrita e colagem. 

Uma outra coisa que lembro bem é que eu odiava quando os professores chegavam e diziam abram o livro e copiem das páginas 50 a 52.  Eu ficava me perguntando para que serve o livro se temos que copiar tudo isso no caderno? Uma outra coisa que eu detestava era fazer caligrafia.

Mas, gente se não fossem essas cópias e esses exercícios de caligrafia hoje provavelmente eu seria uma professora garrancho aquela que escreve, escreve e escreve e você não entende uma palavra.


Então tenho que admitir que eles foram uma peça fundamental na minha vida e se não fossem eles, eu não conseguiria nem acessar a internet muito menos escrever num blog. Também destaco aqui, que alguns dos meus ex-professores trabalharam e trabalham comigo hoje, ou seja, para mim eles são mais do que profissionais são meus amigos.

Assim, para completar a minha homenagem a todos os mestres, deixo um vídeo da Revista Nova Escola mostrando o dia a dia da professora Eliane Correa, do CEU Navegantes, em São Paulo, responsável pelo Atendimento Educacional Especializado da escola. Sua história nos ajuda a entender as principais dificuldades das pessoas com deficiência e a estrutura das escolas brasileiras para a inclusão.



E para concluir, deixo aqui todo o meu respeito a essa linda profissão, um muito obrigada a todos os professores e professoras que me aturaram e me ensinaram a trabalhar em equipe, a ter responsabilidade. E por fim, um enorme beijo a todos os meus atuais colegas da escola onde trabalho.


E vocês, tem alguma história interessante do tempo da escola? Lembram de algum professor legal? Então, nos conte!!!

______

Siga-me no TwitterInstagram e curta nossa Fanpage.

Nenhum comentário:

Postar um comentário