quinta-feira, 19 de novembro de 2015

A história do Blog "A Menina e o Lúpus"


Geeeente, lembram do post Afinal ninguém é completamente sadio, só não foi bem examinado”? Pois é, entrei em contato com ela e pedi para que ela falasse um pouco mais de sua história e vejam o que ela nos falou sobre o blog.


O ano era 1997, eu parecia um sapo, de tão inchada que estavam meus gânglios embaixo do pescoço.
Na sala da casa da minha tia, por um médico da família eu estava sendo diagnosticada com Febre Reumática, e como "tratamento" foi me receitado uma benzetacyl a cada sábado, no primeiro sábado recebi o apoio e a companhia de familiares, o mesmo não se repetiu em sábados seguintes, eu passava muito mal com aquelas injeções ficava muito nervosa.
Passaram se dois anos e sessenta e quatro injeções, quando comecei a piorar, as dores só aumentavam eu estava muito magra e com o cabelo muito ralinho. Uma tia minha vendo aquela situação, resolveu pagar uma consulta em um reumatologista, que prontamente me diagnosticou com lúpus. Voltei a ter a atenção da minha família, que ia comigo ao hospital buscar remédios e a consultas, mas o tempo foi passando e mais uma vez cai no esquecimento.
Não conto quantas vezes desmaiei tirando sangue ou quantas vezes fiquei só em um quarto de hospital enquanto fazia as sessões de pulsoterapia (uma espécie de quimioterapia para lúpus).
De tanto você parecer forte, você acaba sendo vista como tal e as pessoas esquecem de perguntar como você está, ou talvez pelo fato de você ter uma doença crônica, e aquele seu quadro nunca melhorar, as pessoas tem preguiça de perguntar para ouvir a mesma resposta.
Eu sempre tive problemas para chorar, talvez eu não quisesse demonstrar fraqueza, mas o problema é que aquele choro contido estava cada vez mais me deixando doente, cansada de ser esquecida resolvi fazer o blog, queria me comunicar com minha família de alguma maneira.
No primeiro mês que criei o blog, percebi que não estava sozinha, e que haviam tido 6 mil visualizações, muitas pessoas estavam se identificando com a minha história.
Resolvi então falar de superação, e criei a Fan Page no Facebook, para juntamente com o blog poder dar suporte aquelas pessoas que passavam por coisas semelhantes, ou pior, tinham acabado de descobrir a doença e se viam perdidas. Se buscasse lúpus no google, só aparecia desgraça, queria que as pessoas tivessem um olhar diferente sobre a doença.
Queria que elas soubesse que existe vida após o diagnostico!
E hoje recebo muitas mensagens de apoio para que eu continue a dar forças e a orientar essas pessoas que nem sempre conseguem ter carinho e compreensão em casa.

E aí, o que acharam desse depoimento? Conhecem alguém que tem lúpus? Então, que tal apresentar para essa pessoa o Blog A Menina e o Lúpus!


E se quiser conhecer outras histórias inspiradoras, já publicadas, basta clicarAQUI, nas Entrevistas

Siga também:
Instagram @claudiacma7
Twitter De papo com Cláudinha

Facebook De papo com Cláudinha

Nenhum comentário:

Postar um comentário