sábado, 7 de novembro de 2015

Mulheres viraram empresárias para mudar a vida de minorias


Genteeee, é fato que o número de mulheres empreendedoras não param de crescer no Brasil. E uma das razões para esse aumento pode ser a flexibilidade que o negócio próprio nos oferece na hora de organizar as atividades domésticas, a família e o trabalho.

Também não podemos deixar de lembrar que nós  mulheres possuímos a arte de se reinventar constantemente no amor, na cozinha, na estética, no trabalho, e isso faz com que essa força que nos transcende nos transforme e dê um novo significado a vida delas e de outras pessoas.
E um exemplo disso é Myriam, Carolina, Andrea e Dariene quatro empreendedoras que além de contribuírem para a ampliação da representatividade feminina, defendem que “[...] o que está à frente do lucro é mudar ou ajudar, de alguma forma, pessoas que sempre estiveram à margem. Da moda, dos padrões de beleza convencionais, do que é tachado por aí de ‘normal’”.


Assim, se você quer conhecer a história da Myriam que criou uma loja de roupas íntimas para mulheres que passaram pela mastectomia (retirada da mama), da cadeirante Carolina que criou uma consultoria destinada a incluir pessoas com deficiência no mercado, de Andrea que criou um negócio voltado a atender mulheres acima do peso e da fisioterapeuta Dariene Rodrigues que montou uma loja virtual que produz peças exclusivas para pessoas com deficiência é só clicar AQUI.

E não esqueçam de participar do sorteio da loja Casadaptada, clicando no presente abaixo.

Siga também:
Instagram @claudiacma7
Twitter De papo com Cláudinha
Facebook De papo com Cláudinha

Nenhum comentário:

Postar um comentário