quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Otávio Blasi




Moreno, alto, de corpo atlético e com algumas tatuagens no braço, o jovem Otávio Blasi, de 28 anos, chama atenção não por conta da cadeira de rodas, mas em razão da sua beleza física. Atributo este que já lhe renderam alguns trabalhos como modelo fotográfico.

Natural da cidade de Poços de Caldas (MG), Otávio adquiriu a deficiência física durante uma tentativa de assalto e, com exclusividade, contou um pouco sobre esse fatídico dia, como conseguiu dar a volta por cima e a sua relação com a moda.

Confira abaixo:   

Moda Em Rodas: Quem é Otávio Blasi?

Resposta: Me chamo Otávio Augusto Blasi Brandão Carvalho, tenho 28 anos, moro na cidade de Poços de Caldas (MG) e tenho terceiro grau incompleto. Fora isso, amo malhar, ouvir músicas, ler livros e assistir documentários. Para mim, minha maior qualidade é a sinceridade e o meu pior defeito é o orgulho.


MER: Como você adquiriu a deficiência?


Resposta: Adquiri minha "deficiência" através de uma luta corporal com um bandido, na qual o mesmo disparou um tiro.

MER: Foi difícil o processo de adaptação? Como você superou a nova condição?

Resposta: Difícil é pouco, pois, no princípio, pedi para os médicos e todos que trabalhavam no hospital que me aplicassem a eutanásia. Assim, a adaptação foi muito difícil por conta das dores e a queda de pressão, mas, graças a Deus, e a luta interminável da minha mãe, com dois meses consegui o privilégio de ir no Hospital Sarah de Belo Horizonte, onde tive a honra de fazer minha reabilitação. De lá para cá, eu ainda me encontro no processo de reabilitação e por isso, malho todos os dias, toco a cadeira sozinho e tenho um banheiro adaptado.

MER: Apesar de tudo, você mostra em suas redes sociais ser um homem bastante vaidoso e estiloso. Qual é o seu segredo de moda e que você pode compartilhar com os leitores?


Resposta: Acredito que o segredo da moda é cada um seguir o seu! Eu, por exemplo, amo o rock e continuo seguindo o meu estilo quando saio, mas, no dia a dia, sou muito básico e gosto de usar regatas quando está muito quente.


MER: Por ser uma pessoa com deficiência, você se sente representado na mídia ou nas vitrines?  


Resposta: Na verdade, em relação as mídias, eu não faço questão nenhuma de colocar uma roupa chique. Tempo atrás, uma grife de regatas fitness – aquele modelo que é praticamente um fio nas costas e mostra os peitos – quiseram fazer um trabalho comigo e eu recusei educadamente, pois vai contra o meu estilo pessoal.

MER: Qual recado você gostaria de passar aos homens que deixam o visual de lado por conta da deficiência?

Resposta: O recado para os “brothers” que, assim como eu, possuem uma deficiência, é o seguinte: ACORDA porque a vida não acabou! Você pode ser entregar e posar como vítima da situação ou, em contrapartida, ser um exemplo. Do mesmo jeito que existem dois tipos de pessoas “andantes”, existem dois tipos de "deficientes". A escolha só depende de VOCÊ!


Quer conversar com Otávio Blasi ou conhecer alguns trabalhos realizados pelo modelo? Acesse o seu perfil no Instagram @diariosobrerodas e, além disso, acompanhe os últimos “looks” do Moda Em Rodas no Instagram ou na página do Facebook.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário