quarta-feira, 16 de março de 2016

Por que a fila preferencial é tão desrespeitada?


Você sabia que o 1º e o 2º artigo da Lei de Acessibilidade, sancionada em 2000, trata sobre a prioridade de atendimento a pessoas com deficiência, pessoas da terceira idade, mulheres grávidas e lactantes? Mas, por que em pleno ano de 2016 muitas pessoas desrespeitam essa lei? Você sabia que quem é beneficiado por ela, também desrespeita a lei?

Recentemente “todos os servidores ativos detentores de cargo de provimento, aposentados e pensionistas do Executivo Estadual, segurados pelo Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Norte[1]”, tiveram que fazer o Censo Cadastral Previdenciário.
As pessoas tinham que agendar, dias antes, pela internet o local e o horário de atendimento já que o mesmo era presencial. E na minha cidade os primeiros dias de funcionamento do censo foram marcados por alguns transtornos.Segundo alguns relatos de pessoas ao chegarem lá recebiam das atendentes uma ficha e ficavam aguardando o atendimento numa sala muito quente, já que o ar-condicionado não estava funcionando.
Muitas pessoas começaram a ficar incomodados com o calor e a demora e um senhor perguntou: “ Onde estava o atendimento prioritário já que, na ocasião, havia muitos idosos?” Diante das reclamações o atendimento passou a ser realizado em outra sala mais ampla, com ar-condicionado e respeitando a prioridade de atendimento.
Mas, por que será que nenhuma das atendentes por iniciativa própria zelaram pelo atendimento prioritário? Na minha opinião, houve uma falta de orientação dos gestores e, também a falta de sensibilidade das atendentes. Será que era tão difícil delas verem a necessidade de dá prioridade aos idosos que, geralmente, apresentam pressão alta, dores nas pernas, precisam ir para casa tomar seus remédios.
E essa falta de bom senso das atendentes também existe tanto nas pessoas que tem direito ao atendimento preferencial, quanto nas pessoas que devem respeitar o atendimento preferencial.Assim, não é difícil encontrarmos na fila de um banco pessoas que tem direito ao atendimento preferencial com as mãos repletas de boletos, dos vizinhos, filhos e amigos. Ou seja, essas pessoas ao usarem a lei e seu benefício de forma inadequada também estão desrespeitando a lei.
Ainda existem aquelas pessoas que fingem não estarem vendo na fila uma mulher grávida, ou com um bebê no colo. E para terminar muitas das pessoas que tem direito ao atendimento preferencial não se sentem a vontade para exigir seus direitos com medo da reação das pessoas.Isso acontece principalmente, quando sua necessidade não é visível como uma lactante que precisa retornar o mais rápido possível para casa, para amamentar a criança.

Enfim, termino esse post fazendo as seguintes perguntas: Você ou alguém da sua família já precisou do atendimento prioritário? Precisou reclamar para que o mesmo fosse cumprido? Nos lugares que você frequenta o atendimento prioritário é cumprido, de modo adequado?


Deixe as respostas dessas perguntas nos comentários. E não deixem de compartilhar esse post e acompanhar o blog, curtindo as páginas do  Facebook  e do Instagran.


Nenhum comentário:

Postar um comentário