sexta-feira, 8 de julho de 2016

Ideias de trabalho para pessoas com deficiência e/ ou pessoas desempregadas


Gente, o momento que o país vem passando tem trazido muitas aflições e preocupações para muita gente, principalmente para aquelas que perderam o emprego ou que estão temerosas disso acontecer. Mas, vocês sabiam que essa realidade é bem comum ao longo da vida de muitas pessoas com deficiência já que muitas estão desempregadas?

O site do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho, ao comentar um artigo do jornalista Jairo Marques enfatizou que “(...) a obrigatoriedade de empresas com mais de cem empregados contratarem pessoas com deficiência ainda está longe de cumprir a meta, seja por falta de qualificação profissional dos deficientes, seja por resistência das empresas. A falta de qualificação é uma consequência do preconceito e da falta de políticas públicas de educação, transporte e saúde (...)”.

Também é importante destacar que as empresas não aceitam horários flexíveis ou trabalho em casa e diante dessa realidade muitas pessoas com deficiência acabam tendo que optar por se tornar um profissional autônomo. Nesse sentido, o que esses empreendedores podem ensinar a você que está desempregado e/ou para quem continua empregado mas, precisa de uma renda extra?
Conforme, uma reportagem de 03/12/2013 presente no site G1 “em São João da Boa Vista, há 3.331 deficientes empreendedores (1788 com dificuldade visual) e 709 (com deficiência física). Em Araraquara, há 2.642 pessoas com deficiência que também optaram pelo empreendedorismo”. Ainda não podemos deixar de destacar que muitos desses empreendedores só existem graças aos avanços da internet.

Um bom exemplo, é a loja Como Ir!, tocada por João Pacheco e  Renato Laurenti ambos, segundo a reportagem do jornal A Folha,  são cadeirantes e “vendem pela internet e por telefone produtos para pessoas com deficiência, desde cadeiras e acessórios até sondas urinárias e itens cotidianos, como talheres adaptados”.


Além da Internet, o conhecimento dos sócios  sobre deficiência é fundamental para a empresa. “Eles contam que é muito comum clientes ligarem sem saber bem o que precisam e serem orientados pelos dois”. Renato ainda informa que futuramente pretendem “(...) encontrar um espaço físico para fazer uma oficina e um showroom”.
Também a artesã e pedagoga Cris Côrrea aos 17  anos sofreu um acidente de carro e ficou  paraplégica. E hoje faz monstrinhos de pelúcia e os vende através da sua empresa, a Maenga Toys. Segundo ela sua “(...) paixão por ''bonecas de pano'', teve início ainda na primeira infância pois minha mãe tinha o costume de costurar várias bonecas pra mim e pra minha irmã Vivi, e nós adorávamos. Ficávamos ao lado da máquina enquanto ela costurava nossas bonecas, depois podíamos escolher como iríamos querer o rosto, que era pintado a mão, e os cabelos que geralmente eram de lã”. Já na adolescência, ela passou a customizar seu material escolar. E no período de readaptação fez vários cursos de artesanato como trançado em taboa, confecção de bijuteria e modelagem em porcelana fria.


Cris Côrrea, em entrevista ao Estadão,  ainda conta que “(...) a ideia de se organizar como uma empresa surgiu após ela passar em um concurso para trabalhar como professora em uma cidade vizinha, mas resolveu desistir devido às dificuldades de mobilidade. ‘Como eu já estava envolvida na costura, resolvi investir nos bonecos’”. E a exemplo, dos empresários João Pacheco e  Renato Laurenti citados acima seus bonecos também são vendidos pela internet e em lojas parceiras.
A partir desses dois exemplos, é possível constatar que essas pessoas antes de se tornarem empreendedoras tinham um problema mas, souberam transformá-los ao mesmo tempo em uma ocupação e fonte de renda. Assim, após ter analisado as histórias de João Pacheco,Renato Laurenti e Cris Côrrea percebemos que há muitas formas de encarar um problema. Uma outra coisa que também chama a atenção é que eles lidaram com o problema como um momento de desafio e de criatividade.
Nesse sentido, se seu problema é a demissão e consequente falta de dinheiro no bolso, você pode fazer como eles e começar a trabalhar em casa e/ou usando a internet. Para isso, comece pelas seguintes dicas de Juliana Zamma:

1- FAÇA UMA LISTA DE :
  • Coisas que gosta de fazer ou
  • Algo que possua conhecimento
  • Você tem que gostar do que vai fazer pois, vai passar muito tempo tratando deste assunto, então não pode ser algo desagradável.
2- DEFINA SE POSSUI OU NÃO ESPAÇO FÍSICO PARA A ATIVIDADE
  • Se você vai trabalhar com produtos físicos, possuir um espaço de trabalho em casa é obrigatório, seja um escritório, um quarto, uma mesa, ou seja, um canto onde possa se concentrar e manter organizado.
  • Já para aqueles que optarem por qualquer tipo de trabalho que seja online, é preciso apenas de um notebook e wi-fi.
3-  SABE INFORMÁTICA? SE NÃO, ESTÁ DISPOSTO A APRENDER?
  • Aprenda o básico em informática é essencial nos dias de hoje.

Agora vamos às ideias de trabalho


Oferecer aulas
Se você está empregado, mas precisando aumentar a renda, pode pensar em maneiras de ensinar suas habilidades. Conforme Juliana Zammar “se você tem conhecimento em algum idioma pode dar aulas para adultos, crianças ou fazer tradução de textos e trabalhos de faculdade. Com alguns livros didáticos e criatividade, você consegue montar um plano de aulas para começar a trabalhar em casa!”
Artesanato

Se você faz artesanato, faça como a Cris Côrrea utilize suas habilidades para ganhar dinheiro em casa. Como frisou a Juliana Zammar vemos diariamente reportagens mostrando pessoas confeccionando várias coisas como “móveis de material reciclável, vasos de barro, crochê, sabonetes artesanais, velas aromáticas e decorativas.”

Você também pode criar um site, blog ou anunciar os seus produtos em suas redes sociais como o Instagran e Facebook. Eu mesma comprei esse final de semana uma bijuteria a artesã Daniele Cristina, ela reside na minha cidade e eu conheci seu trabalho pelo Instagran já faz dois anos.

Bolos, salgados, docinhos e lembrancinhas para festas

Se você gosta e sabe fazer bolos deliciosos que tal se especializar em decoração de bolos?! Conforme Juliana Zammar, há “muitos cursos no mercado que ensinam você a tornar a sua paixão em uma profissão rentável. Paralelamente você pode fazer salgadinhos e docinhos para festas diversas, cupcakes, popcakes para festas diversas.”
Aqui em Caicó, os bolosdenega já são um sucesso e ela recebe encomendas de várias cidades do RN e até de outros estados. Veja se não são verdadeiras obras de arte que dá até pena de cortar…
E sabe o que é mais bacana com esse tipo de trabalho específico?! É que na maioria das vezes a pessoa que faz os bolos, os salgadinhos e docinhos contrata os serviços de quem confecciona as lembrancinhas e forminhas. Essas pessoas também trabalham em casa como Izanna Fernandes que é proprietária da Doce papel .

Cabeleireira/ esteticista/ manicure

Esse campo pode soar comum, mas conforme Juliana Zammar “cresce a cada dia, e aumenta a  procura de pessoas que atendam a domicílio ou mesmo em casa com essas atividades. Os salões de beleza estão sempre explodindo de gente, então se a pessoa pode escapar do  trânsito, e da procura de vagas para estacionar, tendo a facilidade de ter este serviço em casa, é uma economia de tempo e dinheiro.”

Designer gráfico

É um projetista que trabalha desenvolvendo sites, blog, logotipos, revistas, folhetos, marcas, livros, revistas, folhetos, catálogos, jornais, embalagens, websites, softwares, jogos, eventos, anúncios, enfim, uma boa profissão que vem crescendo a cada dia.
Enfim, existem diversas ideias. O importante é começar e não ficar parado. Todavia, é imprescindível saber que trabalhar em casa não é sinônimo de moleza pelo contrário é um trabalho que exige determinação e esforço..
E aí, você já trabalha em casa? Conhece outras oportunidades para ganhar dinheiro trabalhando em casa? Comente aqui abaixo…
E, vamos conversando…
Um grande abraço, Claudinha



E aí gostou desse post? Então compartilhe, deixe seu comentário e não esqueça de me acompanhar no Instagran e Facebook.


Nenhum comentário:

Postar um comentário