quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Como economizar na compra de fraldas! O guia prático que toda mãe precisa saber.

Gente, hoje eu resolvi compartilhar um texto que minha irmã e minha prima vão se identificar afinal de contas, elas vivem conversando sobre o assunto fraldas. E vocês que são mães/pais já pararam para pensar quanto custa a caca dos seus pequerruchos e pequerruchas? Como descobrir qual fabricante tem a fralda com melhor custo benefício para seu bebê? Essas e outras respostas serão respondidas por Elle Braude, especialista em finanças e mãe de trigêmeos, que já deve ter trocado muitas fraldas. 😃

Ser mãe/pai tem muito amor envolvido, mas ninguém me avisou que tem muito cocô também! Se você pensa que escolher o melhor custo-benefício para papel higiênico é uma caca, é porque ainda não adentrou nas escolhas de fraldas!
Chega mais, que hoje eu vou destrinchar esse mundo confuso das fraldas infantis para ajuda-los a economizar uma grana.
Quando os bebês chegaram em casa, eles mamavam de 3 em 3 horas, e antes de cada mamada era uma trocada de fralda, ou seja, no início eram pelo menos 24 fraldas por dia…
Como sou econômica por natureza, além de testar as fraldas descartáveis que ganhei de presente no meu chá de bebê, comprei fraldas genéricas de supermercados, marcas desconhecidas e também testei os “big boys” (Pampers e Huggies) nas minhas pequenas cobaias.
Com isso aprendi a primeira grande regra de ouro das escolhas de fraldas:
Nem sempre a fralda mais barata compensa, e nem sempre a fralda mais cara é a melhor.
Um dos piores terrores de uma mãe cansada e ainda sem prática é o vazamento das ditas cujas. É um inferno. Os meus bebezugos ficavam fulos da vida.
“Pô mãe, já tô toda molhada, aí fica você tentando tirar minha roupa toda, tirar esse treco sujo, para depois tentar encaixar esse outro treco seco, passar os meus braços nessas mangas e pernas nessas calças? GRRRR, eu quero é ficar pelada!”
A escolha das fraldas precisa levar em consideração 2 itens principais:
– O formato do corpo do seu baby
– A quantidade de xixi ou cocô produzida
Em relação ao formato do corpo, existem múltiplos tipos de bebês: gordelícias, esbeltinhos, bundudos, bundinhas panquecas, coxudinhos, palitinhos e por aí segue a lista.
Cada formato de corpo vai se adequar melhor com uma ou duas marcas de fraldas. Bebês mais magrinhos costumam se dar melhor com fraldas que tem uma boa proteção lateral contra vazamento e com elásticos de bom acabamento (Turma da Mônica por exemplo).
Bebês mais parrudinhos já precisam dessas proteções um pouco mais folgadas (Mamypoko por exemplo).
Lembrando também que os pequerruchos podem apresentar algum tipo de sensibilidade ou alergia a componentes específicos em algumas fraldas. Então, atenção a bolinhas, vermelhidão e irritação!
Já no quesito de produção de dejetos, a chave aqui é testar para achar as marcas de fraldas com a quantidade mínima necessária de gel absorvente (também conhecido como poliacrilato de sódio ou floc gel ) para que o seu bebê não vaze. Infelizmente essa não é uma informação prontamente disponível, só testando as fraldas para saber. Via de regra, quanto mais floc gel tem uma fralda, mais cara ela será, mas menos vazamentos a mamãe terá que enfrentar.
Como descobrir qual fabricante tem a fralda com melhor custo benefício para seu bebê?
Aí que a gente se esbarra na segunda regra de ouro que aprendi nessa jornada:
Os fabricantes de fraldas adoram confundir as mamães e papais.
Calma que estou aqui para explicar o be-a-bá.
Existem alguns direcionadores a serem considerados em relação ao preço das fraldas. O primeiro é a marca da fralda, o segundo é a segmentação e o terceiro é o tamanho da fralda.

Marca

Em geral, quanto mais “famosa” a marca, maior a tendência dos preços serem mais caros.
Levando só a marca em consideração, deixo aqui minha percepção das marcas mais caras para as mais baratas (sendo que só estou opinando sobre as marcas conhecidas das fraldas que testei aqui em casa):
1. Pampers


2. Mamypoko

3. Huggies

4. Pompom
5. Capricho
Segmentação:
Tem mais! Afinal de contas, se fosse só levar a marca em consideração, aí seria muito fácil né? A coisa complica porque as fabricantes de fraldas geralmente segmentam suas fraldas nos nichos top de linha, intermediários e/ou econômicos, sendo que quanto mais cara a fralda de uma determinada marca, maior a quantidade de gel absorvente que ela conterá além de outras firulas, tal como material utilizado na parte externa da fralda, indicadores de umidade, fitas elásticas que colam novamente e estampa de bichinhos coloridas.
Na tabela abaixo eu mastiguei a segmentação das marcas que testei, exceto pela Mamypoko, que não tem segmentação. Outro detalhe, deixei as fraldas-calça de fora, pois elas sempre serão mais caras que as fraldas comuns e o objetivo aqui é chegar na fralda com melhor custo-benefício para o dia-a-dia, certo?
Tamanho vs. Quantidade
Aqui os fabricantes enrolam a gente de vez, porque via de regra, apesar do preço permanecer o mesmo, conforme muda o tamanho da fralda, muda a quantidade de fraldas no pacote, ou seja, quanto mais o seu bebê cresce, maior o custo da fralda.
Vamos para a aulinha prática.
Estou utilizando a fralda da Turma da Mônica Tripla Proteção como exemplo, mas ele vale para todas as outras fraldas, ok?
Marca Segmento Tamanho Peso Qtde Preço Valor Unitário
Huggies Tripla Proteção – Turma da Mônica P 0 a 6 kg 60 R$ 39,90 R$ 0,67 M 5,5 a 9,5 kg 54 R$ 39,90 R$ 0,74 G 9 a 12,5 kg 48 R$ 39,90 R$ 0,83 XG 12 a 15 kg 42 R$ 39,90 R$ 0,95
*cotação obtida na Droga Raia em 31/01/2017
Apesar de a fralda sempre custar R$ 39,90 nesse exemplo, quando a gente divide o valor da fralda pela quantidade de fraldas que tem em cada pacote, o valor vai aumentando e com isso seu bolso esvaziando…
Lembrando que, para cada tamanho, os fabricantes podem ter pacotes de diferentes quantidades. Por exemplo, o tamanho P da Turma da Mônica Tripla Proteção pode vir em pacotes de 28, 36 ou 60 unidades. Via de regra, quanto maior o pacote, melhor o preço.
Dicas práticas
Agora que já consegui explicar o básico das fraldas descartáveis, vamos para as dicas práticas:
1. Teste, teste e teste. Se possível peça fraldas no chá de bebê para obter marcas variadas, e assim avaliar as fraldas que melhor vão com o formato do corpo do seu bebê. Uma vez testadas, veja se o segmento econômico já atende as suas necessidades sem ter bebês vazados chorando pela casa.
2. Compre fraldas sempre pesquisando o valor unitário. Use e abuse da calculadora do seu celular e quando for às compras divida o valor da fralda pela quantidade do pacote. Os preços podem variar de R$0.50 a R$ 2.00 por unidade!
3. Busque locais que vendam grandes quantidades de fraldas tais como distribuidoras de fraldas ( ex: JN Fraldas e Blatt Fraldas no Brás em SP) ou atacarejos (ex: Atacadão, Makro, Sam’s Club). Fique também de olho em promoções pontuais de hipermercados (ex: Extra, Carrefour).
4. Demore para fazer o upgrade de tamanho. Fraldas P são mais baratas que as M e assim por diante.
“Mamãe, essa fralda já tá uma tanguinha!”
Qual é a minha preferência pessoal? Tchanan! Na realidade, as fraldas que considero as campeãs são as fraldas de pano modernas. Pode deixar que no próximo post vou explorar esse nicho duplo “eco”: ecológico e econômico!

Gostou do post? Então, curta, compartilhe, me siga nas redes sociais pra não perder o que vem por aí!
Facebook - CLIQUE AQUI (pra não perder nada!)
Instagram - CLIQUE AQUI  (pra dicas rápidas!)
Grupo do Facebook - CLIQUE AQUI  (pra debatermos sobre o tema!)
Fonte: Me poupe


Nenhum comentário:

Postar um comentário