terça-feira, 18 de julho de 2017

Coaching para pessoas com deficiência: O que é, quanto custa e pra que serve?

 
Tenho notado no Instagram várias imagens e textos sobre metas, objetivos e sonhos. O que está acontecendo com essas pessoas? Por que se fala tanto nisso nos dias de hoje? E você o quer da vida? Qual seu sonho? O que você quer da vida? Como você se imagina daqui  a 10 anos?
A resposta para essas perguntas é tão complexa, o caminho para conquistar uma meta pode ser tão longo e cheio de decisões  que hoje muitas pessoas recorrem ao coaching.E para esclarecer o que faz esse profissional chamei a Coach para Diversidade, Isadora Meirelles, carinhosamente chamada de Isa. Ela é deficiente visual e resolveu largar uma carreira de sucesso em Relações Públicas para se tornar Coach e ajudar pessoas com deficiência. Então confira a história de Isa e aproveite  para refletir sobre os seus sonhos.
1- Quem é Isa?
Sou uma mulher alegre, brincalhona, dedicada e otimista, busco sempre acreditar na intenção positiva das pessoas. Acredito na evolução do Universo e no poder individual que todos temos de transformá-lo em um lugar melhor para convivermos
Sou paulista, tenho 24 anos, formada em Relações Públicas e atuo como Coach para Diversidade, com a missão de despertar nas pessoas o poder de transformação das diferenças (físicas, culturais, biológicas) em potencial. Amo ouvir histórias, é minha maior fonte de aprendizado, e também sou apaixonada pela dança. Arte, teatro, cinema, performance, tudo que é expressão artística me encanta!  .
2-Fale-nos sobre a sua deficiência.E como você, seus pais, familiares e amigos entenderam, essa condição humana?
Nasci com Glaucoma Congênito nos dois olhos (a pressão alta dos olhos). Após algumas cirurgias, curei o olho direito totalmente, porém, não o esquerdo. Mesmo após fazer 4 transplantes de córnea perdi a visão do olho esquerdo ainda criança e hoje enxergo um pouco de luz. Tive a oportunidade de colocar uma prótese que deixaria o olho esquerdo esteticamente mais parecido com o direito, mas optei pela esperança de um dia ainda haver um novo procedimento que recupere minha visão. Hoje sou feliz por ter os olhos diferentes, acredito que é minha maior beleza!
Sempre fui muito amada por todos a minha volta e acredito que por isso nunca senti que possuía alguma deficiência em relação aos outros. Enxergar com um olho sempre foi um detalhe pequeno que nunca me impediu de fazer nada. Claro, às vezes dou uma esbarradinha nas pessoas e também não consegui tirar a carta de motorista, mas isso é um mero detalhe hehe
A questão estética me incomodou algum tempo durante a infância e adolescência, usava uma lente verde igual ao olho direito. só que ela me machucava, muito, foi então que despertei para o real valor da vida: qual o sentido de machucar todo dia meu olho se eu não preciso disso?
Hoje assumi meus olhos diferentes e também assumi o controle da minha vida.
3 -Como foi sua infância e adolescência?
Só tenho boas recordações dessa época :)) Estudar, cantar, dançar, fazer sapateado, dar risada, brincar na rua, sair com os amigos, ir ao shopping, ficar à toa. São algumas das atividades que me fazem lembrar dessa época e me fazem sorrir. Foi uma fase linda, tive a oportunidade de morar no exterior, me concentrar nos estudos e fazer muita amizades. Se pudesse voltar nesse tempo e mudar alguma coisa, teria estudado um pouco menos e aproveitado momentos de maior rebeldia rsrs Digo isso porque a Isa da adolescência se preocupava muito com a disciplina e com a nota máxima na escola, a de hoje leva uma vida de forma mais leve e descontraída, mais plena e feliz.  
 4-Por que você resolveu se tornar coach?
A verdade é que eu nunca havia descoberto aquilo que me apaixonasse. Entrei na faculdade dos meus sonhos acreditando que estava construindo uma carreira de sucesso como Relações Públicas, só que não. Trabalhei em empresas que me diziam ser a melhor oportunidade, mas não fazia sentido algum pra mim. Insisti, insisti mais uma vez, continuei insistindo, até que me dei conta, diante de uma crise de tristeza, que eu precisava acreditar no que fazia. Digo, meu trabalho precisava ter um propósito e não ser apenas minha fonte de renda. E foi o processo de Coaching que me despertou para isso, foi que ele que me abriu os olhos para a minha essência e valores. Nesse momento, descobri que ser Coach era aquilo que eu sabia fazer de melhor na vida: ajudar os outros a ressignificarem suas histórias, que nem eu fiz com a minha.
5-Coach é parecido com terapia?
Podemos dizer que o processo de Coaching se assemelha à terapia no sentido de que ambos são processos de autoconhecimento e reflexão cotidiana sobre sobre o aspecto íntimo do ser humano, porém o foco e metodologia de cada um são totalmente diferentes.
A principal diferença é que o Coaching está focado no futuro, ou seja, o objetivo é alinhar o comportamento presente aos objetivos projetados para o futuro. Enquanto na terapia o olhar é sempre voltado para o passado, na  busca por traumas e sentimentos mal resolvidos que precisam ser descobertos agora, no presente. O Coach não enxerga eu cliente como paciente, pessoa passiva, mas sim como responsável pelo seu processo de mudança, diferente da terapia.
Dizemos que o Coaching e a terapia são processos complementares para todos aqueles que buscam o autoconhecimento.
6-Como um Coach pode ajudar uma pessoa com deficiência?
O processo de Coaching incentiva o indivíduo e o fornece possibilidades de ressignificar sua história, ou seja, de atribuir novo sentido à dor, ao sofrimento e até mesmo à deficiência quando é vista como obstáculo na vida pessoal e/ou profissional.
Utilizo perguntas profundas e metafóricas que levam a pessoa com deficiência a olhar para sua diferença de outra forma, descobrindo crenças e valores limitantes que moram dentro dela, fazendo parte da sua rotina mental e a impedindo de realizar sonhos pessoais e profissionais. É a mudança íntima que traz mudanças externas.
7- Quanto custa para contratar um coach?
O processo de Coaching precisa de muita dedicação, tanto do Coach, que é o profissional, quanto do Coachee, que é o cliente, pois todo o processo é pautado em atividades práticas que exigem dedicação e disciplina. Falamos que esse processo tem um valor, que pode variar segundo o nível de experiência do profissional, região geográfica, tipo de atendimento (online ou presencial). Em média, aqui em São Paulo, o processo custa entre R$2.000,00 a R$5.000,00, sendo que se realiza em sessões semanais ou quinzenais de 1h30min.
 8-Qual o sonho dessa coach?
Sonho com uma sociedade mais diversa e inclusão, onde as diferenças entre nós não nos separe, mas nos una. Como pessoa e profissional, vou lutar sempre pela igualdade de condições entre as pessoas. Vou lutar pela acessibilidade do meio, para que todos tenhamos acesso aos lugares que desejamos frequentar e às oportunidades que merecemos. Desejo um mundo mais feliz, acredito que as pessoas merecem mais felicidade.
9- Que mensagem você deixa para os leitores do Blog?
Pessoas lindas, nunca desistam dos seus sonhos, acreditem neles, sempre, lutem, sejam caras-de-pau, chorem, se decepcionem, mas façam algo por eles! Uma vez que deixarem eles de lado, não passaram de ideias e nunca se realizarão.

Isa,muito obrigada por compartilhar sua história e por nos alimentar com a sua mensagem.E vocês leitores gostaram da história de Isa? Passe lá na minha página do Facebook depapocomclaudinha que tem um vídeo dela e veja o que ela anda fazendo pelo Instagram @isa.meirelles.

Aproveite e comente aí o que você quer para a vida? O que você anda fazendo para realizar seus sonhos? E não esqueçam de deixar seu joinha aqui embaixo e compartilhar essa história com familiares e amigos.


Facebook:https://www.facebook.com/depapocomclaudinha/



Nenhum comentário:

Postar um comentário