terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Quanto custa para um cadeirante concluir a faculdade?

Gente, fazer uma faculdade para conseguir um diploma de ensino superior é um pré-requisito essencial para a maioria das profissões. Além de alcançar melhores postos de trabalho, fazer amizades, ganhar melhor e crescer dentro da área escolhida, fazer uma faculdade para Alberione que mora em Jardim de Piranhas- RN e é cadeirante fazer uma faculdade “é uma terapia, um lazer, um jeito de poder sair de casa e ser um pouco independente, mesmo que seja por algumas horas”.
Todavia, Alberione anda precisando de R$ 10.000,00 para comprar uma cadeira de rodas e continuar frequentando a faculdade. Os amigos dele tiveram uma ideia de fazer uma vaquinha e a meta é levantar esse dinheiro antes das aulas iniciarem.
E como eu vivo fazendo contas imaginei o seguinte cenário quantas pessoas precisam participar dessa vaquinha doando R$ 3,00 o valor de um salgadinho que você come todos os dias na cantina da faculdade? Quer saber mais sobre o Alberione? Como pessoas que estão em outros estados pode ajudá-los? As respostas para as perguntas estão abaixo.
Quem é Alberione Dantas?
Me chamo Alberione, tenho 31 anos, e como é difícil se descrever e falar sobre mim, acho que é difícil pra todo mundo se autodescrever, mas me considero um cara tranquilo, meio nerd, que é apaixonado por vídeo games, rock, cinema e séries.
Me descreva um pouco a sua deficiência ou doença rara. Como ela foi descoberta? E como seus pais, seus familiares e amigos “reagiram” diante da situação?
Não sei ao certo o nome da minha doença/deficiência, ela nunca foi diagnosticada, por sempre morarmos no interior, e não termos recursos financeiros parar buscar tal resposta. E foi encarada com preocupação, lógico, mas ao longo do tempo todos foram se adaptando às minhas necessidades e buscando que eu tivesse uma vida mais normal possível, diante minhas limitações físicas.
Como foi sua infância e adolescência?
Minha infância e adolescência foi bem tranquila, sempre brinquei, estudei sempre em escolas públicas para alunos "normais", nunca fui muito de sair, me considero bem antissocial, mas com a universidade tenho melhorado muito esse lado.
Está rolando uma vaquinha solidária para arrecadar cerca de R$ 10.000,00 Reais para que você possa comprar uma cadeira de rodas e continuar frequentando as aulas. Como surgiu essa ideia? Quanto já conseguiram levantar e como as pessoas podem te ajudar?
A ideia da vaquinha, ou campanha para arrecadar fundos para a compra da cadeira de rodas veio em uma conversa informal com minha colega e amiga Aline Vale, eu ia pra faculdade numa cadeira bem velhinha que foi doada em 2009, e ela vinha praticamente se desmontando durante os anos, prevendo que uma hora a cadeira iria parar de funcionar, falei com Aline sobre uma suposta campanha, e a cadeira realmente quebrou no último dia de aula de 2017.
As pessoas podem ajudar fazendo doações nas contas da Caixa e banco do Brasil que estão no fim da entrevista. Já conseguimos levantar em torno de 5 mil reais
Fale um pouco de como é sua vida acadêmica.E o que te inspirou a fazer História?
A vida acadêmica pra mim é um mundo totalmente novo e diferente, é mais que somente uma obrigação, é uma terapia, um lazer, um jeito de poder sair de casa e ser um pouco independente, mesmo que seja por algumas horas.
Minha inspiração pra fazer história veio de um grande amigo que se formou na UFRN e hoje é professor, chamado Erick, além de outros amigos que também cursam história. Além de ser uma disciplina que sempre gostei durante a vida escolar.
Como você enxerga a Universidade hoje e como você é visto por ela?
Como já disse, vejo a universidade não só como um lugar de aprendizado e formação profissional, mas como um lazer e uma terapia, é um novo mundo, um lugar onde fiz amizades que levarei para a vida inteira, e eles me veem como um estudante esforçado, sempre buscam me ajudar no que for preciso, adaptando minhas necessidades.
Como é ser estudante universitário e cadeirante em tempo de crise econômica e política no interior do RN?
Ser estudante universitário em tempos de crise econômica não só estadual, mas nacional é complicado, as reformas trabalhistas e educacionais do governo temeroso tem deixado nós, futuros professores de cabelo em pé, e sem grandes perspectivas de melhoria da nossa classe. Mas a esperança é a última que morre, e tomara que esse quadro mude logo.
Como e onde você se imagina daqui a 5 anos?
Daqui a cinco anos me vejo seguindo como historiador, quero fazer mestrado e doutorado, e quem sabe dar aulas em uma universidade.
Que mensagem você deixa para os leitores e leitoras desse blog.
Como recado para os leitores do blog, deixo aqui meu agradecimento a quem ajudou na campanha, e quem leu a matéria, agradeço a oportunidade dado por Cláudia. Espero que vocês que tem alguma dificuldade na vida, seja ela física, financeira ou qualquer que seja, que acredite em você mesmo, foquem sempre na educação, ela é o caminho para uma vida melhor, busquem sempre o saber. Obrigado!
 Quer ajudar o Alberione? É só depositar qualquer valor em:
Dados para o depósito:
Alberione Izídio Dantas
Agência. 0758
Conta corrente. 23475-4
Operação. 23
Banco. Caixa Econômica 
CPF:074.194.244-54

Suerda Dantas de Souza
Agência.  5072-5
Conta 2174-1
Variação 51
Poupança Banco do Brasil 
CPF:056.729.854-08

Está sem nenhum centavo no bolso?! Então, curta e compartilhe essa história nos grupos do facebook, manda pra os grupos do WhatsApp até chegar a 1666 pessoas que possam fazer uma doação de R$ 3,00.
Fanpage - CLIQUE AQUI 
Instagram - CLIQUE AQUI 
Twitter – CLIQUE AQUI 
Facebook do Alberione- CLIQUE AQUI
Email - claudiacma7@gmail.com  


Nenhum comentário:

Postar um comentário