domingo, 13 de maio de 2018

Noivou e agora? 4 Dicas para começar a organizar o casamento

Hoje eu quero falar com você que quer desencalhar, que vai pedir a mão do seu AMOR em casamento, que quer entrar para o time dos noivos! 
Eu sei… a felicidade do noivado é imensa, mas cuidado ela pode acabar no momento em que você pensa: haverá festa de casamento? onde comprar os anéis de noivado? A aliança de noivado poderá ser a mesma do casamento? Quem pagará? Quanto gastar na festa? Quem vamos convidar?
Como o mês de maio é considerado o “mês das noivas” resolvi fazer um post com algumas dicas poderosas para vocês começarem a se organizarem para o casamento.
1.Converse sobre dinheiro com seu futuro marido!
Se você acredita que falar sobre dinheiro com seu amor dá azar, vai por mim quanto mais se procrastina esse tipo de conversa, maiores são as chances de que a discussão a respeito desse tema realmente acabe mal. 
Se você nunca tocou neste assunto com o seu amor, faça isso já! Sentem para uma conversa franca e para não ficar aquele climão, vocês podem começar respondendo algumas perguntas:
  •  Vocês já têm onde viver?
  •  Pretendem comprar um imóvel juntos?
  •  Vão alugar ou comprar?
  •  Quanto já têm em caixa para a obtenção do imóvel ou aluguel?
  •  E as despesas da casa, como serão divididas?
Depois de responder todas essas questões e colocarem tudo na ponta do lápis, partam para a próxima fase: Pergunte a ele/ela se a festa de casamento é realmente um sonho.

2. Economize o dinheiro e pague cada detalhe, a vista.

Se o casamento for o seu sonho, deixe isso claro. É conveniente deixar tudo o mais claro possível porque programar uma festa é algo que implica atenção e dinheiro. A Natália Sousa demonstrou no seu blog Noiva Cadeirante, que ela não quis casar duas vezes. O primeiro casamento com o esposo, aquele amor pra vida toda. O outro com as dívidas da festa de casamento, da igreja, do vestido, do salão de beleza…
Daí a Natália dizer “O nosso planejamento aconteceu com muita antecedência, quase dois anos, e isso foi primordial para que acontecesse da forma que queríamos. Não tivemos tanta pressa em fechar fornecedores, conseguimos conhecer cada um com calma e fazer a melhor escolha, e conseguimos vaga com muitos concorridos (aqui em Brasília está difícil achar vaga na agenda de muitos profissionais).
Sobre os gastos, acho que todo mundo deve realizar seu sonho dentro das suas possibilidades. Nossa estratégia ( que nem foi muito planejada, mas começamos a adota-la e funcionou muito bem) foi guardar o dinheiro necessário para o " fornecedor da vez" e pagar a vista, assim dava para ter um poder maior de negociação e conseguir alguns descontos. Além disso, isso dava pausas para não vivermos em função do casamento durante dois anos. A ordem fui eu que estipulei, não segui regra nenhuma. Primeiramente pagamos o salão, ai esperamos alguns meses para juntar o dinheiro para o fotógrafo, e assim sucessivamente. Fechamos os itens primordiais, como salão de festas, fotógrafo, filmagem e música da cerimônia, exatamente nessa ordem. Depois fechamos itens que são mais tranquilos, por exemplo, os doces, decorador e outros que pegam vários casamentos ao mesmo tempo, então eu não precisava ter tanta pressa. Teve item que fechei na semana do casamento! 
Dessa maneira fizemos nosso casamento com o dinheiro que tínhamos, pois a gente sabe que se colocar tudo que tem por ai o orçamento fica surreal. Noiva não pode ver nada mais bonitinho que já quer para sua festa, e nessa hora a gente teve que ter muito bom senso e pé no chão. Por exemplo, a banda para a recepção.... por muitos meses eu procurei opções, peguei orçamentos, fui em shows para conhece-las, mas colocando no papel, saia muito caro e seria um item que não faria tanta falta. Não estou dizendo que uma banda não é legal, eu acho o máximo e super animado, mas ninguém saiu falando mal da minha festa porque eu tive apenas um DJ. A solução foi contratar um DJ muito bom e com o dinheiro que eu gastaria com a banda deu para pagar toda a lua de mel”.
3. Cuidado na hora de escolherem as alianças
É também importante lembrar que a aliança do noivado é utilizada na mão direita e as alianças de casamento na mão esquerda. Então, antes de comprar as alianças é importante saber que a aliança de noivado poderá ser a mesma do casamento entretanto, os casais mais modernos preferem comprar novas  alianças para representar essa transição.
Procure não comprar alianças por ímpeto, só porque está na moda. As alianças devem ser escolhidas com muita atenção e com o casal junto, porque precisam ser confortáveis, bonitas e duráveis.
Para quem preza pelo bem-estar, as alianças anatômicas são as mais recomendáveis, é também preciso que se verifique se o modelo é adequado para o formato das mãos. Assim, mãos mais finas condizem com alianças mais delicadas, por exemplo. A regra também vale para o contrário: mãos pesadas e maiores combinam com alianças mais reforçadas.
Um outro item que deve ser respeitado no momento de escolher a aliança  é  o estilo de vida do casal, se você ou sua noiva tem um estilo de vida mais esportivo, opte por alianças mais finas e arredondas. Fuja dos modelos maiores e mais trabalhados. Quem trabalha muito com as mãos não devem escolher alianças com pedras e sim alianças mais lisas e espessas.
Não respeitar esses quesitos é jogar dinheiro fora, pois a pessoa vai comprar as alianças e só vai usar no dia do casamento e nunca mais nessa vida (estamos sabendo que nas bodas de beijinho você já vai está querendo comprar outras alianças).
Outra forma de não jogar dinheiro fora é ficar longe das Joalherias famosas e não ter preguiça de pesquisar sobre as alianças. Na internet você encontra muitas opções de lojas como a Loja Rubi.
4.Quem vamos convidar?
É evidente que quanto menos pessoas, mais barata será sua festa, para isso é importante estabelecer algumas “regras” para a sua lista de convidados.
Por mais que você se preocupe com a opinião dos outros, você tem que ter a consciência que muitas pessoas que você gosta não poderá estar presente, pois o orçamento não permite. Não sabe como montar a lista? O site Finanças Femininas tem algumas dicas de como montá-la, confira abaixo:
Casais: se seu orçamento estiver curto, escolha apenas convidar os casais em relacionamento mais sério ou casados. Os namorados de pouco tempo ou apenas ficantes podem ficar de fora da lista.
Acompanhantes: você convidou sua madrinha e ela pediu para levar alguém junto. Diga educadamente a ela que não será possível. Diga que sua lista é bastante restrita e que o ideal seria ter apenas conhecidos no dia do seu casamento. Caso sua madrinha ou padrinho seja casado ou tenha namorado, aplique a regra anterior.
Colegas de trabalho: convidar colegas de trabalho pode trazer muitos transtornos, pois você não poderá convidar sua empresa inteira. Salvo raras exceções em que seu colega de trabalho passou a fazer parte da sua vida, o ideal é não convidar.
Parentes: considere limitar os parentes a uma determinada geração ou apenas os mais próximos. Aqueles primos distantes que você só vê a cada cinco anos podem ficar de fora.
Proximidade: sabe aquela amiga de infância que você adorava? Você falou com ela no último ano? Se a resposta for não, repense se deve mesmo convidá-la. Talvez vocês estejam mais afastadas do que imaginam.
E então, gostou das dicas? Então, curta e compartilhe esse texto com um amigo (a) que está planejando se amarrar!
Fanpage - CLIQUE AQUI       
Instagram - CLIQUE AQUI       
Twitter - CLIQUE AQUI     
Email - claudiacma7@gmail.com

Você também pode curtir

  


Nenhum comentário:

Postar um comentário