domingo, 7 de outubro de 2018

Como você pode ajudar pessoas com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)?

Você conhece ou convive com pessoas muito agitadas, que apresentam dificuldade de concentração e que parecem que estão ligadas nos 220? Fique alerta, essa pessoa pode ser hiperativa! Conheça aqui os sintomas, o tratamento e como você pode ajudar essas pessoas a viverem melhor! 
O que é TDAH? 
No artigo denominado Hiperatividade em Crianças nas Séries Iniciais, a autora defende que o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade é “[...] um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida, ou seja, é uma desordem do déficit de atenção, e muitas vezes é confundido como mal comportamento e indisciplina.”  

Ainda segundo pesquisas o TDAH atinge cerca de 6% da população mundial, e é também conhecido como transtorno de conduta.  no que se refere as causas do TDAH, José Roberto Marques, afirma que “[...] diversas pesquisas apontaram que se trata de uma combinação de fatores, que incluem questões genéticas, ambientais e biológicas.” 
Além disso conforme, Natália Cavalcante Dantas, a autora do artigo Hiperatividade em Crianças nas Séries Iniciais “[...] algumas causas [...] podem contribuir para desenvolver a hiperatividade, como por exemplo, paralisia cerebral, retardo, certas síndromes genéticas, problemas congênitos durante a gestação como pré-eclâmpsia, uso de álcool, fumo e drogas durante a gestação, além de problemas situacionais, como um contexto familiar conturbado, com brigas, agressões ou separação dos pais”.   
Os sintomas do TDAH  
Inicialmente é preciso ter a certeza de que realmente pessoa sofre de  Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade e, para isso, é essencial ter um diagnóstico médico. No entanto, se houver alguma suspeita, observe se a pessoa apresenta alguma das características a seguir. 

  • -Desatenção para ouvir os outros; 
  • -Dificuldade de concentrar-se; 
  • -Distrai-se com facilidade; 
  • -Tem dificuldade em seguir instruções; 
  • -Esquecimento; 
  • -Não presta atenção em detalhes 
  • -Estar a todo o momento movimentando alguma parte do corpo; 
  • -Alterações de humor; 
  • -Atitudes impulsivas; 
  • -Fala excessivamente, interrompe, não consegue esperar sua vez 
  • -Dificuldade para se organizar. 

Natália Cavalcante Dantas defende que o TDAH “[...]ocorre por falta de regulação nos neuro-transmissores, provocando dificuldades em prestar atenção na aula, distraindo-se facilmente, no entanto, não tem um método de limitação, então os psicoestimulantes estimulam a produção desses neurotransmissores que estão deficientes.” 
Também é importante informar que tanto crianças quanto crianças   podem   apresentar os sintomas da TDAH. No caso dos adultos, geralmente são aqueles que não foram identificados na infância ou que receberam diagnósticos, mas não tiveram o tratamento adequado.E como você pode ajudar alguém que tem TDAH? José Roberto Marques ao longo do seu texto trouxe algumas dicas que citarei  abaixo. 

Dicas para Lidar com uma Pessoa Hiperativa 
"O primeiro passo para lidar com uma pessoa hiperativa é incentivá-la a procurar o tratamento adequado. Afinal, não basta saber que se tem TDAH, é importante que um profissional indique as medidas que devem ser tomadas para que se possa ter uma vida tranquila e normal. A inquietação comum a pessoas hiperativas, se não for tratada, causa um sentimento constante de agitação, o que compromete o desempenho do indivíduo no trabalho e nas relações pessoais. 

1 – Busque Informações Sobre a Hiperatividade 
Se você convive com uma pessoa hiperativa e deseja contribuir para a sua melhora, é fundamental que busque conhecer o transtorno para adotar uma postura mais empática e tolerante. Dependendo do grau de proximidade, se ofereça para acompanhá-la nas consultas e tire todas as dúvidas que tiver com o médico. Fazer pesquisar em sites especializados e grupos de apoio também irá lhe ajudar a entender melhor o comportamento dela. 

Lembre-se que a informação é a principal ferramenta para acabar com o preconceito. Nesse sentido, quanto mais conhecimento tiver sobre hiperatividade, mais poderá ajudar o hiperativo e todos aqueles com os quais ele convive. Procure sempre compartilhar tudo o que aprender e, assim, ajudar a disseminar o respeito e a tolerância. 

2 – Entenda Que a Medicação Pode Ser Necessária 
A hiperatividade é causada por um desequilíbrio químico no cérebro, nesse sentido a medicação pode ser um dos caminhos indicados pelo médico, a fim de compensar as substâncias ausentes e proporcionar ao indivíduo mais qualidade de vida. É importante entender a necessidade e a função da medicação para evitar alimentar um preconceito bastante comum na sociedade de que os remédios para transtornos de ordem mental são desnecessários. 

Vale ressaltar que, embora seja necessária em muitos casos, a medicação é algo que requer cuidado e atenção. Então, é fundamental que a pessoa hiperativa tenha todas as informações a respeito da substância que está tomando e relate ao médico qualquer reação que julgar estranha ou diferente. Você pode ajudar bastante mantando à atenção sobre isso, a fim de ajudá-la a se atentar a mudanças de comportamento que possam ter relação com o remédio. 
3 – Incentive a Criação de Uma Rotina 
Quando o indivíduo hiperativo mora na mesma casa em que você, é possível contribuir com a criação de uma rotina. Por sentir dificuldade de se organizar para realizar suas tarefas e cumprir horários, ter os compromissos e atividades definidos e registrados ajudará a pessoa a fazer tudo o que precisa e começar a se habituar a isso. 

É importante que essas atividades sejam registradas em um local de fácil acesso para que seja possível acompanhar as etapas e evitar que o hiperativo se desconcentre no meio do dia. Agendas e aplicativos de celular se mostram bastante eficientes e práticos para realizar esse controle. Além de ajudar a evitar o esquecimento de realizar algo, o ato de riscar cada dever que for cumprido é bastante recompensador e irá estimulá-lo a manter essa disciplina. 
4 – Convide-o Para Fazer Atividades Físicas 
Outra forma bastante eficaz de contribuir com a melhora da pessoa que tem TDAH é convidando-a para realizar atividades físicas. Isso é possível mesmo que ela não more na mesma casa que você e, além disso, trará benefícios para as duas partes, já que se exercitar é ótimo para todos. Não importa a modalidade escolhida, o importante é se movimentar. Dessa forma, o cérebro dela será estimulado a produzir as substâncias que estão em falta. 

Além dos exercícios físicos, procure incentivar o indivíduo hiperativo a realizar outras atividades, como a meditação e trabalhos manuais, como a pintura e artesanatos em geral. Essas práticas poderão ajudá-lo a desenvolver a atenção plena, deixando a inquietação e a ansiedade de lado, conseguindo, cada vez mais, manter o foco no que estiver fazendo. 

5 – Haja Com Tranquilidade Com a Pessoa Hiperativa 
Como disse anteriormente, os hiperativos são inquietos e agitados, então, uma das melhores maneiras de ajudá-los é tratando-os de forma tranquila, sem gerar ainda mais estresse. Evite se exaltar quando a pessoa se esquecer de algum compromisso que tinha contigo ou faça qualquer outra coisa que te desagrade. Lembre-se que o diálogo é sempre o melhor caminho para resolver as situações sem causar ainda mais problemas. 

Entendo que, em um primeiro momento, pode ser um grande desafio não expressar seu descontentamento. Contudo, a empatia pode ser uma ótima conselheira e te ajudar a pensar melhor antes de agir. Para isso, procure se colocar no lugar do outro para tentar entender como ele se sente. A intenção não é que passe a aceitar tudo, mas que tenha mais compaixão. Pode ter a certeza de que, ao agir dessa forma, estará contribuindo, e muito, para a melhora do quadro de hiperatividade. 
empatia é sempre o melhor caminho para ter mais tolerância na convivência diária com as outras pessoas e quando se trata de hiperatividade não é diferente. Independente de o hiperativo ser um amigo, familiar ou colega de trabalho, buscar entendê-lo fará com que tenha mais paciência e o trate com o respeito, carinho e compreensão que merece e precisa ter para superar seus desafios. Todo apoio é bem-vindo. Lembre-se disso e aja sempre com humanidade". 

Gostou do artigo Como você pode ajudar pessoas com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)? Compartilhe nas redes sociais. A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário. 
Fanpage - CLIQUE AQUI   
Instagram - CLIQUE AQUI   
Twitter - CLIQUE AQUI   

Nenhum comentário:

Postar um comentário