terça-feira, 27 de novembro de 2018

Como deficiente visual pode obter informação financeira?

Publicado em 26/11/2018 por Valor Online 
"Sou deficiente visual e tenho dificuldade de conseguir informações sobre investimentos e gestão de minhas finanças. Onde posso encontrá-las? Quero me planejar e não sei como e onde buscar informações." 

Juliana Rufino, CFP, responde, com a colaboração de Nico Nascimento: 
Caro(a) leitor(a), 
Parabéns pela iniciativa e interesse.  
Reguladores e autorreguladores do mercado financeiro, como Banco Central (BC), Comissão de Valores Mobiliárias (CVM) e Anbima, buscam promover a educação financeira nacional, disponibilizando informações com acessibilidade para pessoas com deficiência visual. 
Sites como Cidadaniafinanceira.bcb.gov.br, Vidaedinheiro.gov.br e Comoinvestir.anbima.com.br possuem conteúdo e recursos tecnológicos apropriados e possibilitam entendimento e compreensão sobre o tema, abordando assuntos como orçamento, conceitos financeiros e investimentos. 

Vidaedinheiro tem uma proposta educativa sobre os temas de planejamento, poupança, investimentos, consumo, crédito, previdência e seguros, dispondo de ferramentas que trazem informação, formação e orientação financeira para quem busca aprender a administrar o próprio dinheiro. 

Comoinvestir, da Anbima, é um portal com uma linguagem descomplicada e navegação intuitiva sobre educação financeira. Os assuntos são abordados através das sessões "planeje", "entenda", "escolha" e "acompanhe", permitindo que o leitor desenvolva certa autonomia sobre o tema finanças pessoais. 
Já o Cidadaniafinanceira e o Brasil.gov.br visam ser um canal de informação e serviços úteis do governo para a população. Todos estes sites são fontes de informação sobre finanças pessoais. 

Sobre como fazer o seu planejamento, seguem algumas recomendações. O primeiro passo é a observação do seu momento de vida, das suas necessidades e a definição de objetivos. Essa etapa é fundamental para auxiliar em decisões mais conscientes de consumir e poupar. 

Comece identificando as suas motivações, desejos de curto, médio e longo prazos, no campo pessoal e profissional, que façam com que o esforço de poupar seja transformado na satisfação de realizar. Transforme isso em projetos e estabeleça prazos para realizá-los. 

O segundo passo é buscar ter clareza da sua situação financeira pessoal e/ou familiar. Monte um fluxo de caixa, considerando todas as entradas (contracheque, eventuais bonificações, 13  salário) e despesas. Reveja com frequência, buscando identificar quanto ganha, quanto gasta e quanto pode poupar.  
O terceiro passo é estabelecer metas mensais e anuais. Se tem dívidas, trace um plano para liquidá-las. Se não, mensure seus esforços, buscando, se necessário, uma renda extra ou adequação do seu padrão de vida. 

Finalmente, com um bom diagnóstico, controle financeiro e metas, estabeleça sua estratégia de investimentos, na qual objetivos, tempo e perfil de investidor devem ser respeitados e são determinantes para decidir onde, quando e como investir.Para essa estratégia, busque proteção: reserva de emergência (ou colchão de segurança) equivalente a seis meses (no mínimo) da sua necessidade de renda mensal. 

Depois, defina como multiplicar o patrimônio, focando em seus projetos de vida e na sua reserva para aposentadoria: projetos de vida (de 1 a 2 anos; de 3 a 4 anos; 5 a 6 anos) e aposentadoria (acima de 6 anos). Ambos são recursos destinados à independência financeira e à manutenção da qualidade de vida. Respeitando isso, recomendo revisões e adequações no decorrer da vida, além de contínuo aprimoramento sobre o assunto.  
Porém, destaco que, mais importante do que ter um bom plano financeiro, é o compromisso em mantê-lo alinhado aos seus objetivos e metas, em suas escolhas ao longo do tempo. Para auxiliar em seu planejamento, recomendo consultar um planejador financeiro pessoal. 

Boa sorte! 

Juliana Rufino é planejadora financeira pessoal e possui a certificação CFP (Certified Financial Planner), concedida pela Planejar - Associação Brasileira de Planejadores Financeiros 
Gostou do artigo Como deficiente visual pode obter informação financeira? Compartilhe nas redes sociais! A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário. 
Fanpage - CLIQUE AQUI   
Instagram - CLIQUE AQUI   
Twitter - CLIQUE AQUI   
Email -claudiacma7@gmail.com 
Fonte: GS Notícias
   
Você também pode gostar  

Nenhum comentário:

Postar um comentário