sexta-feira, 8 de novembro de 2019

5 Mitos do universo das finanças

Quando se trata de finanças pessoais, ser capaz de separar mitos e verdades  é um passo essencial para tomar boas decisões financeiras. É por isso que estamos desmistificando algumas lendas do universo das finanças para ajudá-los a mantê-los do lado certo do conhecimento sobre finanças que podem beneficiar significativamente seu poder de investimento e força financeira. 💪👊
  
Então, veja que 5 lendas são estas (e olha que  muito mais) e porque você não pode acreditar em qualquer papagaiada que te dizem sobre dinheiro.$
1."Quem tem pouco dinheiro não tem como investir” 
Muita gente pensa que precisa de muito dinheiro para investir. E com isso não começa nunca a investir, porque ficam se dando essa desculpa.💰
  
Mas, você pode começar a investir a partir de R$ 1,00, ou seja, com pequenas quantias de dinheiro e com a praticidade de alguns investimentos como o Tesouro Selic e com a facilidade do smartphone você pode investir sem precisar sair de casa e ainda se livra daquelas ciladas do bancário.  

2. “Cartão de Crédito é seu pior inimigo" 
A responsabilidade da sua vida financeira é sua. Afinal de contas, cartão de crédito não tem pernas e não anda por aí sozinho  pelo shopping center passando num bocado de lojas.  💳
  
Mas, se você por acaso tem algum cartão de crédito que anda com as próprias pernas, me envie a foto, com a hastag  #CartãoComPernas, para que eu possa postar lá no meu instagram @papocomclaudinha   😆
  
Agora se você quer que seu cartão de crédito seja seu melhor amigo, basta você acompanhar seus gastos diariamente, controlá-los e pagá-los na mesma data. 

3. “Título de Capitalização é investimento” 
Já falei várias vezes aqui no blog fiz péssimas escolhas, com meu dinheiro, aceitando tudo o que a gerente do banco me indicava. Parece mentira mas, ela me indicou o título de Capitalização e eu fiz pensando que era investimento.
  
Ao me dar conta que título de capitalização não era investimento, passei a estudar e fazer cursos sobre finanças pessoais e economia comportamental para entender o que tinha feito de errado e decidi compartilhar meus conhecimentos com outras pessoas. Geralmente as pessoas que contratam os títulos de capitalização possuem dois objetivos: guardar dinheiro; participar dos sorteios de prêmios. 
  
Os títulos de capitalização são como a Tele Sena do Sílvio Santos, ou seja, o marketing principal são os SORTEIOS e não a rentabilidade!! Ainda conforme,  Julia Wiltgen, “O rendimento não é exatamente igual ao da poupança.  Os títulos normalmente são comparados à caderneta de poupança, que nas condições atuais rende 70% da taxa Selic mais TR (taxa referencial) sempre que a Selic é igual ou menor que 8,5%. Acima deste percentual, a poupança renderá 0,5% ao mês mais TR. Esta última, que equivale à rentabilidade da poupança pela regra antiga, é comumente a remuneração dos títulos de capitalização oferecidos como “poupança programada”. 
  
Acontece que não é todo o montante pago que rende 0,5% ao mês mais TR. Apenas parte do que o comprador paga mensalmente é rentabilizado, compondo a chamada cota de capitalização. O restante é destinado à cota de carregamento (uma espécie de taxa de administração) e à cota de sorteio, destinada a custear os prêmios dos sorteios. Nos primeiros meses, normalmente, a cota de capitalização é bem reduzida”. 
4.“Renda Fixa não vale a pena porque a Selic está caindo” 
Se alguém te falar isso, corra dessa pessoa porque ela deve estar bêbada, tem uns parafusos a menos na cabeça ou não está sabendo te orientar da forma correta.Essa  pessoa não faz conta, né, e provavelmente não sabe que a SELIC é a taxa básica de juros da economia. Hoje, ela está a 5,0% ao ano, uma nova marca histórica. 
  
Para a economia do país, isso é muito bom. Como a SELIC manda em tudo, isso quer dizer que a tendência dos juros praticados no mercado é de queda, o que incentiva o consumo. Para quem investe no  tesouro SELIC continua rendendo mais que a poupança! E continua valendo a pena!  
5.“A Poupança é o investimento mais seguro ” 
Muitas pessoas investem na poupança em busca de um porto seguro. Acham que independente do que aconteça seu investimento estará protegido. Isso é mentira! 
  
Apesar da poupança ter um risco muito baixo, ela não é o investimento menos arriscado. Você pode sim perder o dinheiro que você colocou lá na poupança. 
  
Como seu dinheiro da poupança fica depositado em um banco, caso ele quebre você conseguirá recuperar somente os investimentos de até R$ 250.000. Esse é o valor garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). 
  
Quer organizar sua vida financeira, tomar decisões financeiras inteligentes, obter tranquilidade financeira? Me chame no WhatsApp e agende uma aula, gratuita, da minha orientação personalizada em finanças. E não deixe de me acompanhar nas redes sociais.      
Fanpage - CLIQUE AQUI       
Instagram - CLIQUE AQUI       
Twitter - CLIQUE AQUI  
WhatsappCLIQUE AQUI      
Email - claudiacma7@gmail.com       

 

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Contadora surda oferece consultoria contábil em Libras

Na sociedade de hoje,  Educação Financeira se tornou um fator indispensável. À medida que a complexidade dos processos financeiros aumenta, maior a necessidade de uma educação que contribua para elevar o nível de conhecimento financeiro dos cidadãos; tornar os conceitos econômicos mais compreensíveis; ajudar na tomada de decisões e proteger os grupos mais vulneráveis; promover transparência e confiança e promover ética, valores e responsabilidade social nos negócios. 
Nesse sentido,  em 2016,  me veio a ideia de disseminar a importância do assunto educação financeira no blog. Entretanto, eu me sentia como um extra-terrestre até o dia em que eu postei lá no meu Instagram que eu estava participando do #DesafiodaRiqueza e uma moça cadeirante, Denise Ferreira, comentou: “Cláudia ando bem assustada, porque tenho todas as despesas da casa, tenho que pagar empregada. Sou funcionária pública, mas não ganho a fortuna que a imprensa gosta de alardear.” 

Depois da Denise também entrevistei a Thaisa Durso. Ela é deficiente auditiva e em 2017 criou uma página de finanças @poupecomestilo, e recentemente passou a ministrar consultorias financeira em Libras.E para minha alegria há uns 15 dias atrás  recebi o seguinte email: 

“Bom dia Cláudia, conheci seu blog e achei interessante.Vou me apresentar aqui, sou surda, oralizada. Analista Contabil do Sicoob há 10 anos. Sou contadora, Especialista Declaração de Imposto de Renda e MEI. 

Estou pesquisando na internet sobre cursos, youtube ou consultoria da área contabilidade e não encontrei.Por isso, muitos surdos me procuram para tirar dúvidas sobre Impostos, MEI e Salários, criei o Instagram pouco tempo que agora estou fazendo o projeto, organizando os materiais em pdf completo, mais fácil de entender sobre Declaração de Imposto de Renda e Mei e em breve vou criar o site para mostrar. Abraços!” 


E logo começamos a conversar e a convidei para ela contar aqui no blog um pouco sobre sua história e seu trabalho. Curiosos para saberem como, quando e o que motivou a Karina criar o @contabilizandoemlibras ,como funciona uma Consultoria Contábil e que benefícios as pessoas terão ao contratarem sua consultoria? Essas e outras perguntas fiz para ela. 

1-Quem é Karina Ferreira? 
Mãe, casada, 29 anos, Analista Contábil do Sicoob, Especialista de Imposto de Renda Pessoa Física e Microempreendedor Individual, Instrutora de Libras, apaixonada pelo estudo e criadora do canal youtube sobre contabilidade em libras, criadora da página do Instagram @contabilizandoemlibras que tem como objetivo espalhar educação contábil em libras. 
2-Fale-nos sobre a sua deficiência. E como você, seus pais, familiares e amigos entenderam, essa a condição humana? 
Meus pais notaram que eu não respondia quando me chamavam, então me levaram em um médico especialista na cidade de Campinas - SP, feito os exames o resultado detectou um grau de surdez que constava no laudo “Perda auditiva neurossensorial profunda bilateral” com CID H 90 3, e precisei do uso de prótese auditiva, e logo fui encaminhada para o tratamento adequado. 

Para os meus pais foi um momento muito difícil, com o início do tratamento eles notaram que não teriam condições financeiras, pois os aparelhos auditivos tinham um alto custo na época, mais com muito esforço e esperança começaram a arrecadar fundos, venderam muitos pertences e contaram com a solidariedade de muitas pessoas. 

Com a perda da audição os médicos falaram que o meu desenvolvimento da fala ia ser impossível, mais a minha mãe não perdeu as esperanças, deixou de trabalhar para dedicar o meu desenvolvimento da fala, com o tempo, aos poucos e palavras erradas eu comecei a falar. Aos meus 3 anos e 8 meses ganhei um irmão que com o tempo também ajudou muito no desenvolvimento da minha fala.  

Fiz um tratamento também com uma fonoaudióloga e psicóloga, profissionais que me ajudaram a falar e a aceitar a minha deficiência.

Primeiramente agradeço a Deus por tudo e a toda minha família, meus pais, meu irmão, meus primos, amigos, e a todos que esteve no meu lado nos momentos que mais precisei. 
Um sentimento que resume á família: Gratidão

Especialmente a minha mãe, pois a luta e a dedicação da mãe supera tudo.
3 -Como foi sua infância e adolescência? 
Só tenho lembranças boas dessa época de infância e adolescência, tenho muitos primos e primas, momentos inesquecíveis, estudávamos juntos, muitas risadas e brincadeiras. Foi uma fase linda que sinto saudades, não tem como esquecer dessa convivência gostosa e aquela saudade de um primo que amávamos que se foi tão cedo. 
Na minha adolescência sempre tive amigas, dormíamos uma na casa da outra e eram altos papos e risadas. E foi na adolescência também que conheci meu marido, uma fase inesquecível. Foi tudo maravilhoso, que sinto saudades. 

4-Fale um pouco de como foi sua vida escolar e acadêmica.   
Sempre frequentei escolas de ensino regular, era uma aluna dedicada, gostava de estudar, tirava notas boas, e apesar da minha perda de audição sempre fui desinibida, tinha muitos amigos que me apoiava e esteve no meu lado, para complementar os meus pais pagava aula particular, na escola eu anotava tudo o que passava no quadro e levava para a aula particular, assim a professora explicava de frente pois as dúvidas sempre me incomodava. 
Logo depois de completar o ensino médio, entrei na faculdade, sou formada em Ciências Contábeis e Pedagogia, tantas madrugadas estudando, e fui aprovada pelo CRC MG 115615/0-6, formada para Instrutora de Libras em BH, pós-graduação em Libras e, no momento estou cursando pós-graduação em Auditoria e Perícia Contábil.  

5- Qual a sua profissão? Como o mercado de trabalho a recebeu? 
O meu primeiro emprego foi aos 17 anos em uma farmácia, aos 18 fui trabalhar em um escritório na área financeira. No início percebi algumas pessoas que ficaram um pouco receosas pelo fato da minha perda de audição. Porém sempre mostrei capacidade e competência.
Aos meus 19 anos, saiu o processo seletivo nos jornais do Sicoob Credialto, quando eu recebi a notícia levei o meu curriculum correndo e daí me chamaram para fazer a prova. Logo depois da entrevista fui aprovada, e é onde trabalho há 10 anos como analista contábil, onde todos me consideram uma boa profissional e onde tenho reconhecimento, hoje o que eu sinto é gratidão por cada aprendizado. 

6- Conte-nos sobre seu perfil no Instagram “Contabilizando em Libras”? Como, quando e o que te motivou a criá-lo? 
O meu marido tinha acabado de abrir uma empresa simples nacional, como eu sou formada nessa área, logo comecei a tomar conta da contabilidade da empresa dele. Depois comecei a fazer inúmeras declarações de imposto de renda, até já recebi clientes com malha fina para resolver.  Por meio da internet, conheci e fiz amizades com muitos contadores, com eles obtive muito aprendizado e mais estudos. 
Depois, na época da declaração de imposto de renda postei um vídeo explicando sobre, recebi inúmeros surdos com dúvidas, e presto serviço contábil para alguns surdos, pois cada um exerce profissão diferente e gostaria de conhecer mais um pouco sobre os impostos.

Diariamente recebo ligações de webcam e mensagem, resolvi criar o @contabilizandoemlibras para separar o pessoal e profissional e logo vou divulgar o curso em libras sobre o Imposto de Renda e MEI. 

7- Quando você descobriu que estava grávida você já estava preparada financeiramente? E que dicas de planejamento você dá para aquelas mulheres que estão pensando engravidar e/ou já estão grávidas?  
Sim. Eu e o meu marido planejamos e dividimos as tarefas e os gastos financeiramente. As minhas dicas do planejamento para as gestantes são: 
1- Elaborar o orçamento de tudo que vai precisar para montar o enxoval, fazer a lista das compras pré-natais. 
2- Acrescente a este orçamento o custo esperado do parto, caso não tenha plano de saúde. 
3- Tenha consciência de que alguns custos a partir de nascimento serão maiores como: supermercado, farmácia, fraldas, plano de saúde, escolinha, babá, brinquedos e vestuários. 
4- Criar a previdência privada desde do nascimento, organize e planeja pelo menos R$ 50,00 ou R$100,00 por mês ao longo prazo, para garantir o futuro deles. 
8- Que mudanças positivas e negativas a maternidade trouxe para você? 
Antes eu acordava e pensava no que eu ia fazer, o que seria bom para mim ou como seria o meu fim de semana, enfim, uma programação voltada totalmente às minhas necessidades, quando o meu filho nasceu tomou conta de mim, as noites não são bem dormidas e a rotina é outra. Porém, quando ele nasceu, eu renasci e dentro de mim um amor tão grande. Hoje a casa tem mais alegria e minha vida mais sentido. De todas as alegrias que Deus me proporcionou, ele é a maior e melhor de todas elas.  
9- Você ministra Consultoria Contábil em Libras. Como funciona uma Consultoria Contábil? E que benefícios as pessoas terão ao te contratarem?  
A minha consultoria contábil é individual e voluntária, divulgo ou atendo as novidades da área da contabilidade em libras, pois está faltando essa acessibilidade na internet e no youtubecurso  em libras dessa área. O que eu cobro mesmo são os serviços prestados, como Declaração de Imposto de Renda, Pericial e Microempreendedor individual. 

Em breve terá material, slide e vídeos em libras sobre o imposto de renda e MEI, esclarecendo melhor e mostrando passo a passo como são os procedimentos. 
10-Segundo dados do último censo existem 45 milhões de Pessoas com Deficiência, 1/4 da população brasileira, 29 milhões de PcD (entre 15 e 59 anos) estão em idade apta para trabalhar; 40% não estão ocupadas( 11,6 milhões);o  segmento é formado por 42% de pessoas das classes A e B, 44% da C e 14% das classes D e E e cerca de 11,6 milhões de pessoas com deficiência estão fora do mercado de trabalho dependendo da família ou de benefícios do governo, recebendo o valor de um salário mínimo que pode ser pequeno uma vez que a deficiência exige gastos extras (remédios, equipamentos, tratamentos, cuidadores). Nesse sentido, como gastar menos no dia a dia? Como poupar dinheiro para o futuro sem abrir mão dos desejos e necessidades do presente mesmo ganhando tão pouco?  

Planejamento é tudo, acredito que para investir, inicialmente temos que abrir mão de algumas regalias. E se a pessoa arranjar uma forma de aumentar a renda, como com extras, poderá viver mais tranquila. 
11-Como alguém pode contratar os seus serviços de Consultoria?

Atendo via mídia digital e-mail: karinaferreiracontabil@outlook.com, WhatsApp, no direct Instagram, e pessoalmente mediante agendamento 

12- Que mensagem você deixa para os leitores do Blog?   

Não deixe que as pessoas façam você desistir do que você mais quer na vida, nós vivemos em um mundo de silêncio, mas acredite, lute e conquiste, mostre capacidade e competência! E acima de tudo, seja feliz!

E aí, gostou do post? Então deixe seu comentário e compartilhe essa história.E se quiser continuar recebendo mais informações sobre esse e outros assuntos do Blog, é só nos seguir no instagram e no facebook.  
Fanpage - CLIQUE AQUI   
Instagram - CLIQUE AQUI   
Twitter - CLIQUE AQUI   
Você também poderá gostar: