sexta-feira, 10 de maio de 2019

Uma conversa sincera sobre deficiência e maternidade com Suellen Calixto

Na semana em que comemoramos o Dia das Mães, é fundamental refletirmos sobre a relação entre maternidade e deficiência a qual está longe de ser algo tranquilo. De um lado, as mulheres ainda precisam saber lidar com  suas limitações físicas e os cuidados com um bebê. De outro, é preciso encarar os olhares desconfiados em relação a sua capacidade de cuidar de uma criança. 
Agora, imagine o seguinte cenário: Marido pedir demissão para ajudar esposa com deficiência com o filho.Encarar a maternidade nessa situação e cuidar da saúde financeira da família é algo bem complexo pois, todos nós sabemos que a chegada de uma criança traz gastos com fraldas, pediatra, vacinas e também pequenas emergências podem acontecer.  
Recentemente, descobrimos o canal “O Nerd e a Cadeirante”, formados pelo casal Will e Suellen e como sou Coach financeira me chamou a atenção o vídeo Marido  se demitiu para ajudar esposa PCD com o filho. E logo comecei a imaginar quais terão sido os pontos positivos e negativos dessa decisão na vida deles? Quem é a Suellen? Que  mudanças positivas e negativas a maternidade trouxe para ela? E quais os sonhos do casal? 
1-Sobre Suellen Calixto  
Olá, me chamo Suellen Gomes Calixto, tenho 26 anos, casada, moro em Taubaté, interior de São Paulo, bacharel em Administração  
Aproximadamente aos 4 anos fui diagnosticada com a neuropatia de Charcot Marie Tooth. Andei até os 16 anos mas, a minha vida toda eu já sabia que iria parar de andar em algum momento, pois tenho um irmão com o mesmo diagnóstico.  
2-Fale-nos sobre a sua deficiência.E como você, seus pais, familiares e amigos entenderam, essa condição humana? 
Sobre a doença, quando criança, caia mais que o normal, devido a deficiência... fui muito "zoada" pelas outras crianças (amigos da rua, primos, escola).  
Minha vida toda me "preparei" psicologicamente para cadeira de rodas, pois tenho um irmão com o mesmo diagnóstico mas, a teoria é bem distante da prática, rsrs e dos 14 aos 16 anos, onde era nítido que realmente estava perto de pegar a cadeira de rodas, foi difícil, não foi constante, mas não foi nada fácil aceitar isso...evitei ao máximo esse dia (faz parte) eu era muito rueira, da "baguncinharsrs a dificuldade para andar foi chegando e eu fingindo que nada estava acontecendo, saia com as amigas carregada nas costas, de bicicleta e fazia meus pais também me carregarem. Até que um dia eu e uma amiga combinamos de ir num festival de reggae ( o som que eu mais amava) e na hora de ir, ela me disse: “Su só vamos se você levar a cadeira, não tem como ir sem né?!” E eu tipo: 😕😫e depois de alguns segundos ‘paralisada’ falei: tá né ( meio apavorada) 😐 
E desde então percebi quão livre poderia ser... afinal eu dependia muito das pessoas para me locomover e foi muito melhor ter aceitado logo. 
3- Como foi sua infância e adolescência? 
Como eu disse sempre fui meio descolada, digo que curti muuuuito, mesmo na cadeira. Na minha adolescência usava de várias "estratégias" para me sentir aceita no mundo, fazer coisas que deixassem as pessoas de queixo caído quando ouvissem, fazia eu me sentir mais parte do mundo, drogas(não fui viciada), pegação, bebedeira, baladas e por aí vai tudo isso fazia eu me sentir "mais normal" e menos "deficiente". 
Doce ilusão😁  era difícil me ver triste e deprimida, mas eu guardava muitos monstros e tristezas por dentro, quem me conheceu via quanto eu era "rebelde", dava de durona para esconder meus sentimentos oprimidos. E aí Jesus se apresentou a mim, me ajudou a matar todos os monstros que viviam escondidos dentro de mim, naqueles lugares de difícil acesso 😶 na verdade tem me ajudado todos os dias, e me dá uma paz e uma alegria que é impossível de se achar na vida, me presenteou com um marido abençoado e maravilhoso. Se sou feliz? Muito mais que isso!  
Meus pais são nordestinos, do sertão da Paraíba, são primos de primeiro grau, tiveram 3 filhos, minha mãe é uma costureira de mão cheia, costura desde uniformes escolares a vestido de bailes e meu pai é empreiteiro. Com palavras e atitudes não aceitaram muito bem nossa deficiência, entendo quão difícil deva ser mesmo, mas hoje em dia a vida já mostrou a eles que também podíamos ter uma vida "normal" 

5-Como foi sua vida escolar e acadêmica? 
Sempre foi um horror ir à escola e os motivos eram: 
1º) Tinham os amiguinhos com piadinhas 
2º) Não era de todos os eventos e atividades que eu conseguia participar 
3º) Nunca gostei de estudar (as vezes acho que era por tudo que passava na escola, meio que minha defensiva era não gostar de estudar, não sei)  
4º) Sempre tinha a questão de falta de acessibilidade 
5º) Quando mudava a turma era sempre um terror para mim pela questão de adaptação (criança é fogo) 
Na faculdade não era tão diferente, a diferença era que não havia mais piadinhas, mas tinha a questão de acessibilidade, adaptação, a falta da organização da universidade pensar nas pessoas com deficiência. 
6-Conte-nos sobre seu canal no youtube O Nerd e a Cadeirante? Como, quando e o que te motivou a criá-lo? 
Desde que Jesus mudou minha vida, curou minha alma, sinto "prazer" em falar da minha vida. Um ponto que nos motivou a criá-lo era que percebia que muitas pessoas tinham curiosidades sobre como vivíamos, mas tinham vergonha de perguntar, quando perguntavam era com muita timidez e não achava muito as pessoas com deficiência falando e mostrando suas vidas. Outro ponto foi quando meu marido começou a falar em filhos, eu comecei a pesquisar sobre  mães com pessoas com deficiência, como faziam, como era a gravidez 
E nunca achava muita coisa, quando achava era conteúdo raso.Também queríamos mostrar como posso ter uma vida normal, mesmo com limitações, esses pontos nos motivaram a criar o canal, hoje percebo que mais ajudamos outras pessoas com deficiência e isso é muito gratificante! 
  
7- Que  mudanças positivas e negativas a maternidade trouxe para você? 
A maternidade é um mar de gostosura e desespero, haha... transforma nossas vidas de modo significativo, quando decidimos ser pais, queríamos realmente ser pais, apesar de minhas limitações e de entender que poderiam existir coisas que eu talvez não conseguisse fazer pelo meu filho, mas a maior certeza era que tudo que eu conseguisse eu faria e não passaria essa função para ninguém, porque se há um prazer que a maternidade me trouxe é fazer seja o que for, para o meu filho e a outra certeza que a maternidade me trouxe é que Deus sabe o que faz.  
Ela me capacita tanto para fazer pelo meu filho, quanto a meu filho em entender de forma tão sublime, minhas limitações! A pior parte da maternidade para mim é perceber em olhares e, muitas vezes, em palavras e atitudes nítidas, que não me vêem como uma mãe, como uma pessoa capaz de cuidar de seu filho. 
8- Como sou Coach financeira me chamou a atenção o vídeo Marido  se demitiu para ajudar esposa PCD com o filho? Quais os pontos positivos e negativos dessa decisão na vida de vocês? 
Meu marido sempre quis ser pai, eu precisava de ajuda para cuidar do meu filho... e com oração e a certeza de que Deus cuidaria de nós, como diz a Bíblia em Mateus 6... aconteceu! Ele diz: “Prefiro reduzir minha situação financeira do que perder de poder ajudar você e ver meu filho crescer!” 
Os pontos negativos foram logicamente o nosso financeiro, uma vez que adoramos passear, mas Deus cuidou! E a melhor parte era poder curtir nosso pitico, aproveitar cada minuto, cada coisa que ele aprendia. 

9-Qual o sonho de consumo do casal hoje? Sabe quanto custa esse sonho?E o que vocês estão fazendo para que ele se torne realidade? 
Hoje nosso sonho é poder ganhar dinheiro, em nosso lar! Crescer no Youtube e Instagram, não apenas pelo dinheiro, mas principalmente por cuidar de vidas, que assim como eu tiveram dificuldades em aceitar, mas não tinha quem compreendesse, quem se solidariza-se, quem tentasse se colocar em meu lugar!  
Você não tem ideia de como vibro de alegria e gratidão a Deus quando recebo mensagens dos nosso inscritos ou de nossas seguidoras do Instagram dizendo que nosso conteúdo tem ajudado! Quanto custa para esse sonho virar realidade eu não sei, mas tenho dado tudo que temos de amor e dedicação para torná-lo realidade! 
  
10-Que mensagem você deixa para os leitores do blog? 
É possível sim ser feliz com poucos movimentos, ou até mesmo sem braço ou pernas ou sem os dois, porque o que te faz feliz não são membros, amor, ser incluso, ter uma família linda, mas por experiência própria, a felicidade, a alegria, a paz, e tudo o mais que precisamos, que desejamos para uma vida top de linha, está em Jesus, e acredite: ELE É O ÚNICO QUE PODE MATAR OS MONSTROS QUE NÓS MESMO "ALIMENTAMOS"!  
Que Ele possa se apresentar a vocês e possam entender que nossa dependência deve estar NELE e não em nossas cadeiras, muletas ou qualquer acessório que nos ajude em nosso dia a dia, ou pessoas que conduzem nossas cadeiras e nos ajudem em algo que nós não fazemos sozinhos, pois sem nenhuma dúvida afirmo: poderíamos ter todos nossos membros funcionando perfeitamente , uma vida estável, um amor de novela, uma família de comercial de margarina, mas sem ELE, continuaremos com nosso vazio preenchido por sonhos inalcançáveis e monstros escondidos! 
E aí, gostaram desse casal? Desejam conhecê-los melhor? Bastam seguir o  canal O Nerd e a Cadeirante e Instagram @onerdeacadeirante 

E você que é mãe quer ganhar um mega presente nesse mês das mães? Não é mãe mas, quer presentear uma?  
Então,vá em https://www.instagram.com/depapocomclaudinha/veja os regulamentos e ganhe esse presente. 
Foto do Sorteio lá no Instagram


Nenhum comentário:

Postar um comentário