sábado, 30 de novembro de 2019

3 Sabotadores que podem destruir seus sonhos

Você quer ter mais dinheiro? Você quer juntar uma grana para viajar sem ter que fazer dívidas? Quer comprar um celular mais bacana?
Mas, parece que existe algo que te impede  de juntar dinheiro!? E se eu disser que você pode estar contribuindo PARA FALTA DE GRANA NO SEU BOLSO? Acha isso inadmissível? Mas infelizmente, não é. Apesar de absurdo, esse movimento tem até um nome: autossabotagem 
Muitas vezes, ela se manifesta a partir de comportamentos, truques mentais e situações reais que podem atrapalhar  o seu processo de ter mais dinheiro no bolso. É por isso que, nesta leitura, vou citar 3 sabotadores bastante comuns que podem estar arruinando o seu bolso! 
1- O MEDROSO 
Este sabotador é o que mais bloqueia as pessoas.Medo de ver o próprio extrato da conta bancária, de acompanhar a fatura do cartão de crédito, de colocar os gastos no papel, de abrir um novo negócio, de perder o emprego, de falir, de decepcionar as pessoas, de recomeçar, de aplicar seus recursos em investimentos mais rentáveis entre muitos outros.  
  Como ele prejudica sua vida financeira: Desconhece como gasta o salário, não sabe o quanto nem a quem deve, tem dificuldades para investir, por isso, investe apenas no que é conhecido, como imóveis ou caderneta de poupança. 

Como diminuir sua influência: Tire o extrato da sua conta, saiba o quanto possui. Se está endividado (a) faça uma lista de todas as suas dívidas e coloque numa planilha para quem deve e quanto deve. Está sobrando todos os meses uma graninha mas, não as aplica por  medo de perder dinheiro, por pensar que é complicado mexer nos investimento, entre outros temores.  

Se você possui esses pensamentos, saiba que muitos deles são mitos. Desse modo, quando você adquire mais conhecimento, essas dúvidas desaparecem. Desse modo, seu medo de fazer investimentos na verdade revela a sua necessidade de estudar mais sobre educação financeira. 


2- O CONTROLADOR 
Ele precisa estar no comando de todas as situações e dirigir as ações das pessoas conforme a vontade dele daí ele mente sobre gastos e ganhos, mas exige a divulgação completa das finanças do outro. O sabotador controlador é movido a desafios, a ansiedade gerada por este padrão é imensa, e, apesar de o controlador conseguir seus objetivos, geralmente isso ocorre usando (e abusando) das outras pessoas. Só que ao fazer isso, o controlador impede que as pessoas exercitem e desenvolvam sua capacidade de forma plena e isso gera frustração e sentimento de incompetência no outro. 
Como ele prejudica sua vida financeira: Assume a responsabilidade por todas as finanças da família e querem saber tudo sobre o que acontece na vida daqueles com quem convive e, para isso, podem até invadir a privacidade alheia, vasculhando bolsos, contas bancárias e e-mails; costumam ser impacientes, pois querem controlar o seu tempo e o de todos ao seu redor; enfrenta dificuldade em dividir a administração financeira com outra pessoa, tanto com o parceiro de vida, quanto nos negócios; sufocam as pessoas ao seu redor com suas exigências;

Como diminuir sua influência: Ter uma conversa sobre dinheiro com seu parceiro de vida, quanto nos negócios quando tudo estiver bem, de preferência lá no começo do relacionamento ou sociedade, ou seja, nada de trazer o assunto à tona no meio de uma discussão. Fale sobre ganhos e gastos e não apenas sobre problemas como dívidas. Sempre conversar com o seu parceiro/a de vida, quanto nos negócios sobre projetos e metas. 
3-O ESQUIVO 
Quando este padrão sabotador se torna seu amigo e assume as rédeas da sua vida, a coisa realmente fica difícil, porque você foge de conflitos que precisam ser resolvidos e de tarefas desagradáveis que precisam ser realizadas. Ou seja, procrastina, não cumpre o que se comprometeu, aceita situações que não quer para não ter que se indispor com alguém, pois acha que vai magoar ou perder a ligação /amizade da pessoa.Preciso falar quem sofre com isso? Não! 😃 

Como ele prejudica sua vida financeira: Tem dificuldade em resolver as situações difíceis como dívidas, gerando uma “bola de neve” de problemas financeiros acumulados, não cumpre o que promete, desde compromissos profissionais a contas na data certa, foge de conflitos familiares, evitando conversar de dinheiro em família. Também possui uma imensa dificuldade em dizer NÃO quando, por exemplo, o seu pai, a sua amiga ou o seu tio pedem seu cartão de crédito ou dinheiro emprestado e acabam se endividando. 

Como diminuir sua influência: Você tem que saber para o que e para quem você pode dizer SIM e dizer NÃO. Afinal de contas, um sim sem certeza é um não com certeza, ou seja, toda vez que alguém te chama para fazer alguma coisa, te pede um favor e você não está muito à vontade com aquilo pode ser um convite para ir a uma viagem, pode ser um negócio, pode ser um favor do seu amigo.  
Se for um sim sem certeza então é um não com certeza. De acordo com Patrícia Lages“é a sua vida e ninguém tem o direito de sobrecarregá-la ou obrigá-la a fazer o que não quer.”  Para essas pessoas que têm dificuldade de dizer NÃO há algumas formas de dizer não sem ofender. Confira: 
  • 👉Sabe quando alguém te pede para fazer alguma coisa para ela? Diga que no momento está ocupada e que depois você retorna.
  •   
  • 👉Sabe quando alguém te chama para ir a uma festa, a uma balada e você não quer ir? É só falar: “Ah eu já tenho um compromisso nesse dia.” 

  • 👉E quando alguém te pede dinheiro emprestado. O negócio é dizer: “Vou olhar minha conta e ver qual é minha situação e te falo o que eu posso fazer.”
  •    
  • 👉Se sua amiga te pedir o  cartão de crédito emprestado. É só você dizer: “Ah amiga, infelizmente, estou sem limite!” 

  • 👉E quando alguém te pedir cheque emprestado. É só você falar: “Estou sem folhas!”  

  • 👉E quando alguém te pedir para ser avalista. É só você falar: “Meu nome está sujo!” 
Agora quero saber de você: Qual deles você notou que mais prejudica sua vida financeira?  
Se pudesse melhorar significativamente algo importante na sua vida, o que seria? 
Você também pode gostar 
OS 3 MAIORES LADRÕES DE SONHOS QUE TE IMPEDEM DE CRESCER


  

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Por que as pessoas adoram tanto a Black Friday?

Gente, dia 29/11/2019, vai rolar a tão aguardada “Black Friday”. É promoção pra todos os lados, eu mesma já comecei a receber e-mail e mensagens no WhatsApp de sites e lojas anunciando diversos produtos com descontos. 
De acordo com o Estadão, a expectativa é que o faturamento da Black Friday aumente 18% em relação a do ano passado.Mas, por que apesar da crise econômica a Black Friday  registra alta todos os anos?

Por que somos tão atraídas pela Black Friday? O que podemos fazer para resistir à tentação das compras? Por que compramos coisas que nem precisamos, com um dinheiro que, muitas vezes, nem temos ?

Por que a Black Friday é algo tão poderoso? 
Vendas e descontos são baseados em um conceito de economia comportamental chamado 'ancoragem'. A ideia é que você veja o preço que (aparentemente) costumava ser e sua mente o ancora como o verdadeiro valor. 

Pagar menos é realmente atraente. E qualquer coisa menos do que o preço da âncora é emocionante.Adicione um período de tempo limitado e alguns descontos realmente grandes que se aplicam apenas a um ou dois itens, e de repente você tem uma fórmula realmente atraente que nos faz querer comprar. 

Seu cérebro faz algo engraçado quando você vê uma placa que diz "economize 80%!", nos concentramos na economia e não nas despesas. 
De fato, é um jargão que você ouvirá em qualquer loja. Você consultará suas compras e o vendedor poderá dizer: "Você economizou R$ 43,78 reais hoje!" 

Você se sente bem em fazer uma compra inteligente, certo? Infelizmente, seu cérebro se apaixonou por um dos truques mais antigos que existe, onde a loja faz você se concentrar no que está economizando, e não no que está gastando. 

Participar da Black Friday é ruim? 
Há uma razão pela qual a Black Friday é o maior dia de compras do ano, e definitivamente não é porque as pessoas gostam de acordar cedo para enfrentar longas filas formadas por consumidores em busca de preços baixos. 

A Black Friday ataca sua natureza humana competitiva. Quando surgem grandes vendas ou uma venda indica que há apenas um número limitado de itens disponíveis, seu cérebro diz que você precisa estar lá e não pode perder.  

Fazer compras não é um jogo e não há vencedores e perdedores. As lojas sabem que falar sobre quantidades limitadas atrairá pessoas para a loja; pense se você vai comprar um item porque realmente precisa dele ou porque deseja "ganhar comprando".

Sejamos honestos, os vencedores mais importantes. São aqueles que compram apenas o que precisam e guardam o restante do dinheiro em suas carteiras. 
Nesse sentido, não tem problema se você realmente precisa ou quer as coisas em oferta e pode realmente comprá-las. Mas se você se deixar levar pelo frenesi do 'medo de perder' provocado pela publicidade e promoção, isso pode ser realmente prejudicial. 

O que podemos fazer para não cair em tentação? 
Se você se sentir atraída, pense nisso como sexta-feira vermelha. Um dia repleto de dívidas. Imagine as pessoas inteligentes do marketing que são contratadas para incentivá-la a gastar mais do que você pretendia.

Estamos sendo manipuladas por eles para gastar dinheiro para melhorar nosso estilo de vida. Por isso, não seja enganada por esses truques. 
Mas, se você sabe que é o tipo de pessoa suscetível a cair nesse tipo de truque, e costuma acumular parcelas, comprometer o orçamento pessoal e depois chorar quando chega a fatura! 😮💸 Aqui estão sete coisas que acho que podem ajudá-la: 

⇒Decida o que mais você poderia fazer em vez de fazer compras nesta sexta-feira. Faça algo que você realmente ama. Trate-se de uma maneira saudável, encontrando amigos, fazendo exercícios e curtindo um filme brilhante. 

⇒Calcule quantas horas você teve que trabalhar para comprar algo. Será que a TV realmente vale três semanas inteiras de trabalho pesado? 

Em vez de dizer que você não pode tirar proveito de uma venda, defina um limite acessível antes de pesquisar as pechinchas. Faça disso sua âncora. 

Reorganizar seus pensamentos pode ser realmente poderoso. Então, como dissemos, pense nisso como 'Sexta-feira das Dívidas' e não 'Black Friday'.  

Se você estiver comprando numa loja física, prefira dinheiro em vez de um cartão. 

Dê a si mesmo espaço antes de responder e pergunte a si mesmo: qual é a emoção que está me levando a querer gastar? “Com medo de perder.” “Para esquecer um pouco o que está me deixando triste.” 

Conecte-se com um objetivo em sua vida. Escreva para si mesmo uma declaração afirmando que pode ficar na sua bolsa ou carteira e sirva como um lembrete do que é importante. 

Palavra Final 
As decisões que tomamos sobre gastos geralmente são motivadas por nossas necessidades emocionais, o que pode despertar o senso comum. Eles são tão inconscientes que raramente paramos para refletir sobre eles. 

As pessoas compram por todos os tipos de razões sem perceber: aumentar a autoestima; por status; fazer parte do grupo; para se sentir bem; como um sinal de amor; sair do tédio; como uma recompensa; como uma forma de controle ... 

E os donos das lojas sabem disso e encontram maneiras de jogar jogos mentais especificamente para você gastar. Lembre-se de que comprar coisas apenas lhe dá uma boa sensação a curto prazo

Quando chegam em casa, o burburinho desaparece e é frequentemente substituído por um profundo sentimento de culpa e arrependimento. Fazer coisas mais significativas é muito mais poderoso do que comprar mais coisas. 

Você quer entrar no ano de 2020 com as contas em dia? Mas, você não consegue resistir a uma liquidação? Toda vez que vai ao shopping você compra algo? Não sabe dizer não a aquele(a) amigo(a) que anda para cima e para baixo com o catálogo de produtos da Avon, Natura, Boticário, Herbalife?  
Eu posso te ajudar por meio do Programa de Inteligência Financeira para as Mulheres. Para saber mais sobre o Programa clique AQUI e me chame no Whatsapp.